Clássicos da Literatura

Vários filmes e séries foram feitos baseados nessa história. Em 2008 a BBC lançou uma minisérie; Roman Polanski lançou o seu Tess em 1979 com uma linda Natassja Kinski aos 19 anos; e outras versões em japonês, indiano e com outros títulos mas baseado na mesma história.

História clássica, o livro que eu li foi essa versão adaptada pela Abril Coleções, do autor Thomas Hardy com apenas 215 páginas e mais um apêndice de apoio ao texto. As partes importantes foram descritas aqui nesta história que foi polêmica à época do lançamento em 1891. A personagem começa adolescente, passa por tragédias pessoais, se casa e não consuma seu casamento, tem uma família desestruturada, comete um crime e paga por isso. Acho que o texto completo poderia descrever melhor esse arco de redenção da personagem, que aqui não existe. Quero ler mais textos desse autor. Trecho do livro: “A tendência irresistível, universal e automática de procurar, em algum lugar, o doce prazer, que permeia todas as formas de vida, da mais miserável à mais elevada…”

Quer resenha? Clique Aqui.

Bate-papo com o Leitor =)

as-boas-coisas-da-vida-rubem-braga-10968-MLB20037359557_012014-F

O livro As Boas Coisas da Vida do capixaba Rubem Braga, com 187 páginas trás crônicas do autor. É mais um bate-papo sobre o que anda acontecendo, o quê as pessoas contam; como ele mesmo diz, “Fraca é a minha imaginação; não sei inventar nada, nem o enredo de um conto, nem o trecho de uma peça; se tivesse imaginação, escreveria novelas…”

Ele conta histórias da cidade onde nasci – Cachoeiro de Itapemirim – mas o melhor conto é Um Passeio a Paquetá. Ele não precisa de imaginação para descrever o cotidiano. =)

Trecho da crônica Homem Olhando a Janela Alta: “…Com o quê, quebrou-se o encanto e fiquei na calçada, vestido de terno escuro, com a barba crescida e uma vaga dor de dente…um homem que olhou a alta janela, depois baixou a cabeça, caminhou lentamente, dobrou a esquina, lá se foi o homem.”

 

Série YA*

112522145_1gg

Da autora Kiera Cass, com 361 páginas, o livro A Seleção faz parte de uma trilogia mais um extra. É uma distopia, onde as famílias são divididas por castas e algumas garotas foram escolhidas para uma seleção de futura Rainha. O prêmio: um príncipe.

A parte política da história não foi muito bem desenvolvida, o príncipe é um garoto fraco, a personagem principal é chata. Não existe nenhum personagem envolvente, nem mesmo o vértice do triângulo amoroso, o pobre guarda Aspen. O foco é realmente a história da Cinderela: a menina pobre que encanta o príncipe e ainda fica na dúvida…

elite

A Elite, segundo livro da série, com 354 páginas, é muito mais do mesmo. As garotas continuam se preparando para ser escolhidas pelo príncipe. Agora são apenas seis garotas e a personalidade do príncipe se torna mais dúbia, principalmente para a personagem principal, porque só temos a visão do que acontece nessa área. A história é contada pelo ponto de vista da América, que não tem muito senso de responsabilidade, faz o que tem vontade, apesar de pobre é muito mimada e muito indecisa em relação aos dois jovens. O seu primeiro namorado aparece pouco, apenas pra mostrar ela gosta ter uma segunda opção caso a primeira não dê certo. E a parte política também não é contada porque cada vez que os rebeldes invadem o palácio, a personagem está em algum lugar seguro e não podemos saber o que está acontecendo. =/

aesvc

A Escolha, o terceiro livro da série com 347 páginas é a finalização de uma história divertida para adolescentes. O príncipe virou rei. O namorado “estepe” escolhe outra garota. Os rebeldes se revelam – surreal – até uma das meninas morre. A personagem principal melhora um pouco e se torna mais forte – o possível para uma adolescente. Acho que não ficaria cansada das mesmas coisas se fosse um livro só.

Quer resenha? Clique Aqui.

Contos Universais

851795

A Coleção Para Gostar de Ler, nesta edição de 1988, foi uma das minhas séries favoritas quando criança. O volume 11 traz contos de autores famosos e o meu conto favorito foi A História de Keesh, do Jack London. SURPRESA! Só li um livro dele e não gostei, mas o conto é muito bom. Claro que tem Poe com seus suspenses, Maupassant com suas tragédias bem contadas. Recomendadíssimo. Leia a história dessa coleção. =)

Essa coleção da Ed. Atica, teve 47 volumes e vários autores, alguns desenhos e um suplemento de estudos para ajudar a analisar os textos.

HQ Nacional

Capa_da_graphic_novel_O_beijo_no_asfalto

A HQ O Beijo no Asfalto de Nelson Rodrigues, com 69 páginas e desenhos de Gabriel Góes, foi enviado às bibliotecas escolares pelo programa FNDE. Mesmo sendo uma adaptação, acho o texto pesado para o público de séries iniciais. Nem mesmo as ilustrações são para o público infantil.

O texto fala de incesto, traição, uso de palavrões e todo o linguajar típico do Nelson, conhecido pelas adaptações de seus textos no teatro, na televisão e no cinema. Não li o texto integral, portanto  achei o texto meio confuso, como se faltasse informações importantes; alguns diálogos, talvez. Acho que o próprio Nelson iria proibir esse texto em escolas. =)

Quer resenha? Clique Aqui.

Outra forma de contar uma história

Ana e Pedro - Cartas

Quem cresceu nos anos 80 já passou pela experiência MARAVILHOSA de se corresponder por meio de cartas! O livro Ana e Pedro – cartas é um novo conceito de se contar uma história. Os autores Vivina de Assis, de São Paulo e Ronald Claver de Minas Gerais criaram dois personagens e uma correspondência real entre eles: trocaram cartas desses personagens durante um tempo e transformaram em livro. Idéia boa e que funcionou muito bem nesse caso. A história de 84 páginas não tem começo – bem, tem a primeira carta – e você usa a imaginação para dar um fim à história de dois adolescentes que tentam transmitir emoções em palavras escritas. Vale a pena ler. =)

Quer resenha? Clique Aqui.

tumblr_laq6weryvb1qat4y0o1_400_large

Para chorar litros :(

O livro Querida Sue da autora Jessica Brockmole, de 2013 com 255 páginas, se passa paralelamente em dois momentos da história: em 1912, período da primeira guerra e 1940 período da segunda guerra. Vemos a Sue Jovem se apaixonando durante a guerra e depois vivendo isso através de sua filha no cenário da Escócia. E toda a correspondência dessa época se dava por meio de cartas ❤

O título do livro me incomodou – o original remete à ilha onde mora a poetisa Sue. A casa da capa realmente parece mostrar a paisagem descrita no livro. A história tem algumas inconsistências que não desmerece todo o romance e a nostalgia de quem já viveu essa loucura de esperar um envelope por dias e dias… Chorei…os do

Trechos do livro: “Sei que eu nunca poderei enviar esta carta; ela vai acabar na lareira, no instante em que eu terminar de passar as palavras para o papel…ensinado que uma carta nem sempre é apenas uma carta. As palavras na folha são capazes de inundar a alma.” “um livro é um jardim carregado no bolso.”

Quer resenha? Clique aqui.

tumblr_mduq2hJiT01rnbzgeo1_500_large