Primeiras Histórias

O livro Bom Dia, Tristeza da autora francesa Françoise Sagan é o seu primeiro livro escrito aos 18 anos. Já foi dito que é meio que autobiográfico. A história, que virou filme em 1957 com David Niven e Deborah Kerr, conta em 127 páginas as férias do verão de 53 da adolescente Cécile e seu pai viúvo bon vivant. Ela é uma adolescente mimada pelo seu pai que deixa ela beber, fumar, leva para os bares noturnos onde passam as noites. Ele arranja namoradas muito mais jovens pra se sentir garotão. E tudo muda quando uma amiga de sua mãe aparece pra passar uns dias com eles. Cécile tem medo de errar perto dela que é muito elegante, fina e aristocrática. Tudo diferente dos amigos hippies e modelos sem cérebro que fazem os amigos de seu pai. Ambígua, Cécile não decide se gosta mais de um ou outro tipo de vida. Fútil e frívola, arranja um namorado, trama com ele, ajudá-la a acabar o romance de seu pai com a Dama, depois que os dois confirmam casamento. E tudo acaba em tragédia.

Contado pela Cécile, temos a visão distorcida de todos os fatos. Nem a própria sabe o que não quer, mas o que ela quer é continuar irresponsável.

Trechos do Livro: “Aliás, não tínhamos as mesmas relações: ela frequentava pessoas finas, inteligentes, discretas, e nós, pessoas barulhentas, irrequietas, das quais meu pai exigia simplesmente que fossem belas ou engraçadas.” “Certas frases criam para mim um clima intelectual, sutil que me subjuga, mesmo se não as penetro em absoluto.” ” Pensei que tinha razão, que eu vivia como um animal, ao bel-prazer dos outros, que era pobre e fraca.” “A liberdade de pensar e de pensar mal e de pensar pouco, a liberdade de escolher minha própria vida…eu não era mais que uma pasta moldável…”

Anúncios

Uma piada séria =D

O livro Como Woody Allen pode mudar sua Vida do autor Eric Vartzbed deveria ser um livro de auto ajuda, já que o autor é doutor em psicologia. Mas em 103 páginas temos a biografia cinematográfica do gênio ensinando engraçadas lições de vida. Ele cita as mais famosas obras do Allen e de outros escritores e diretores de cinema, para “analisar” os relacionamentos, a religião, o dinheiro, a vida. É um livro divertido, recheado de informações e quando termina, dá vontade de ir correndo ver ou rever alguns filmes do Woody.

Trechos do Livro: “Embora casada, cercada de alunos e admiradores, ela se assemelha aos verdadeiros solitários, aqueles que, em meio a uma animada multidão, arrastam consigo o próprio deserto.” “”Quanto mais conhecimento, mais sofrimento”, suspirava o Eclesiastes…” “O humor… revela nossa ambiguidade moral…é o entusiasmo pela relatividade das coisas humanas, o estranho prazer derivado da certeza de que não há certezas.” “Woody Allen dá a impressão de pertencer sobretudo ao PC, “Partido Cético”. Pessimista desencantado, ele milita a favor da dúvida e se engaja no desengajamento.”

Suspense e mistério é possível!

20190826_195924-15668015496877331663.jpg

O livro Vertigo dos autores Boileau-Narcejac foi levado às telas do cinema por Alfred Hitchcock em 1958. Esta edição em capa dura com 192 páginas, da Editora Vestígio tem o subtítulo Um corpo que Cai, nome dado ao filme no Brasil. A história se passa durante a guerra: um advogado pobre é contratado por seu amigo rico pra seguir e vigiar sua esposa que anda muito esquisita. Ele começa a segui-la e a salva de um possível afogamento. Então ele se apaixona. Durante todo o tempo ele tenta reprimir a paixão mas continua saindo com ela. Até que ele acha que pode salvá-la da loucura. Mas ela se suicida na frente dele.

A segunda parte do livro se passa cinco anos depois, quando ele volta à Paris e descobre que seu amigo já faleceu e no período de investigação quase foi preso suspeito de matar a esposa. Novamente ele se culpa por não ter contado sobre sua paixão.

O final é surpreendente. 🙀

Trechos do livro:” …deixou que ela se afastasse um pouco. Chegou a pensar em voltar para casa. Mas o fato é que segui-la lhe dava uma sensação de embriaguez…” “…ela exercia sobre ele uma estranha influência; absorvia, literalmente, todas as suas forças; ele representava, junto a ela,…de certo modo, de doador de alma.” “… o segredo da sua indiferença. Ela tinha saído da vida sem nenhuma hesitação; caiu na terra, de cabeça, braços abertos, como para melhor possuí-la, afundar-se inteira nela. Não estava fugindo. Estava voltando para alguma coisa.”

A idade errada :/

O livro Sete Minutos Depois da Meia-Noite (A Monster Calls) do autor Patrick Ness é baseado em uma história inacabada da autora Siobhan Dowd. Conta em 157 páginas a história de um adolescente de 14 anos. Ele têm os pais separados, a mãe doente e uma avó moderna. Ele têm inimigos na escola, um outro adolescente que bate nele, e ele nunca reage. E uma árvore na estrada do cemitério e da igreja se transforma num monstro pra mostrar algumas histórias que se repetem. Ele conta três histórias que se parecem com a vida do rapazinho e ele terá que contar a quarta história pro “Teixo” uma árvore venenosa. Essa história é sobre seu maior medo.

⚠️Spoiler Alert!

O filme segue a mesma premissa do livro, mas mostra um menino menor, mais compatível com a ingenuidade do personagem frente à doença da mãe. O filme é mais forte visualmente pir mostrar várias vezes o sonho do menino em que ele deixa a mãe cair no despenhadeiro!! É de partir o coração!!

Tanto o livro quanto o filme são dramáticos e não tem final feliz.

O filme Judas O Obscuro

O filme Judas O Obscuro, baseado no livro do autor inglês Thomas Hardy, lançado em 1996 tem no elenco a famosa atriz Kate Wislet no papel da personagem Sue, prima de Jude. O filme começa seguindo o livro, e depois se distancia da história, tratando mais do envolvimento de Jude e Sue, sendo o próprio romance o “personagem” do filme.

⚠️Spoiler! No livro o envolvimento de Jude com Arabella demora a acontecer e nos primeiros minutos eles já estão juntos. A separação dele e a perda da casa e do dinheiro que juntou pra estudar é muito sofrida no livro. O filme só comenta uma foto dos dois que ela colocou pra vender. O encontro dele com Sue é mais bonito no filme porque a personagem é mais alegre que no livro, vivendo à frente de seu tempo. O livro tem uma narrativa antiga, o filme, moderna. No livro o Jude tem uma visão mais pessimista da vida. No filme ele chega até a ser arrogante e desleal. A cena da morte das crianças no livro é de partir o coração. No filme é estranho, porque as crianças parecem incomodar o tempo todo, diferente do livro.

É uma versão incompleta de todo o drama que Jude sofre. E o final do livro nem aparece no filme.

Judas O Obscuro Parte 4

20190726_092415-12674625377893758947.jpg

Nesta quarta parte a leitura vai da página 303 até a página 408.

Sue decidiu deixar seu marido e viver com Jude. Ele a leva pra um hotel, mas ao saber que ele esteve no mesmo hotel com a ex, ela ameaça pular da janela. Phillotson está passando por maus bocados: ele é convidado a se retirar da escola onde é professor por causa do escândalo que pode causar o abandono de sua esposa. Ele adoece e seu amigo manda uma carta a Sue que vem vê-lo mas diz que não vai voltar. Sue começa ajudar Jude escrevendo nas pedras para ele moldar. Eles moram juntos mas ela ainda não quer casar com ele. Arabella procura Jude e Sue fica com ciúmes e vai falar com ela. Ela conta pra Jude que sua preocupação em perdê-lo aumentou após conversar com Arabella.

Sue vê nos jornais sobre o casamento de Arabella e fica mais feliz. Jude recebe uma carta formal de Arabella dizendo que eles tiveram um filho e que ele está chegando no trem pra ficar com ele. Ele decide ficar com a criança mas esquece de buscá-lo. O menino chega sozinho à casa de Jude e ele tem dúvidas se o filho é seu. Sue acha que o menino é mesmo de Jude. O menino, que não tem nome, pede pra chamá-la de mãe e ela se derrete.

Jude e Sue decidem se casar e vão ao cartório, mas Sue desiste. Ao passar por uma igreja ela decide assistir ao casamento, mas ela recita trechos mórbidos de uma poesia.

Jude encontra trabalho numa igreja do interior: escrever os dez mandamentos na parede de pedra. Sue vai ajudá-lo e fica nervosa quando algumas mulheres a reconhecem. Jude é mandado embora. Ele adoece. Sue vai vender biscoitos de gengibre numa feira. Arabella que ficou viúva e rica, vê que ela está grávida. Arabella pensa que pode ter Jude de volta e então convence Phillotson que deve voltar para Sue.

Eles decidem voltar pra cidade no dia do desfile de formatura. Isso deixa Jude chateado porque não conseguiu ter a vida acadêmica que sonhou. Eles só conseguem um quarto pra Sue e as crianças enquanto Jude vai ficar num bar. Sue conta pro menino que está grávida de novo e ele entra em pânico dizendo que crianças atrapalham, que ela não devia ter mais filhos. Ela vai procurar Jude e quando eles retornam a cena é chocante: as três crianças enforcadas e um bilhete na mão do menino. No funeral Sue faz um escândalo, passa mal e perde o bebê que estava esperando.

Playlist do Audiobook Aqui.

Romance com sabor

O livro Como Água Para Chocolate da autora Laura Esquivel, conta em 205  páginas a história de Tita que foi criada na cozinha e por isso aprendeu a cozinhar com emoção. Todo alimento cozinhado com lágrimas, fazia com que todos chorassem. Ao cozinhar com amor, todos que se alimentaram se sentiram invadidos por ondas de amor. Por ser a filha mais nova, Tita deve seguir a tradição da família e nunca se casar para cuidar da mãe. Ao se apaixonar, ela rejeita essa tradição, o que cria um atrito com a mãe. O rapaz aceita se casar com a irmã mais velha dizendo que é pra ficar perto dela. A história mostra o rapaz como um fraco, que aceita esse casamento sério, mas não quer que nenhum homem queira se casar com Tita, mesmo após a morte de sua mãe. Para acompanha as histórias, cada início de capítulo conta com uma receitas tradicional mexicana, uma para cada mês do ano. E a história contada em sequência de meses, chega em dezembro e diz que a irmã “…havia morrido há um ano.” O capítulo deveria se chamar DEZEMBRO DO ANO SEGUINTE.

Trechos do Livros: “…durante a infância Tita não diferençava bem as lágrimas do riso das do pranto. Para ela, rir era uma maneira de chorar. Da mesma forma confundia o gozo de viver com o de comer..” “…os odores (dos alimentos) tem a característica de reproduzir tempos passados junto com sons e odores nunca igualados no presente.” “…inventava uma nova receita com a intenção de recuperar a relação que entre ela e Pedro havia surgido através da comida. Desta época de sofrimento nasceram suas melhores receitas.” “A vida havia lhe ensinado que a coisa não era tão fácil, que são poucos os que se fazendo de espertos conseguem realizar seus desejos à custa do que quer que seja…”

O filme mexicano de mesmo nome foi lançado em 1992 e tem muito  em comum com o livro: