O amor nos tempos de guerra

O livro A Professora de Piano da autora chinesa Janice Y. K. Lee conta em 382 páginas a história de um casal inglês nos anos 40, que acaba de se conhecer e casar, vai morar na China do pós guerra, onde o marido vai trabalhar na reforma dos dutos de água. Ela, uma mocinha inglesa fútil, fica andando pelas feiras e conhecendo o lugar. Nos encontros com as esposas dos outros ingleses, que já moram lá há mais tempo, ela fica sabendo que pode dar aulas para as filhas dos chineses ricos. Mesmo sabendo só o básico de piano, torna-se professora da filha de um rico negociante chinês. Seu tempo ocioso faz com que arranje um amante, um inglês que mora tanto tempo na China, que se passa por um deles. Ela gosta do marido dócil. Ela gosta do “chinês” que a trata friamente.

A segunda história é da epoca da guerra entre China e Japão, onde descreve os soldados japoneses em detalhes brutais e selvagens.

No final as duas histórias se cruzam de forma já esperada e não há um verdadeiro mistério a ser revelado.

Trechos do Livro: “Eles tinham opiniões sobre política, haviam lido livros dos quais ela jamais ouvira falar e visto filmes estrangeiros, sobre os quais conversavam muito seguros de si.” “_Mas parece um comportamento fora das leis da lógica. _Tudo o que tem a ver com mulheres é fora das leis da lógica.” “Em tempos assim você se preocupa com as coisas básicas: o que comer, onde cagar, encontrar um lugar para dormir. É isso que o impede de ficar maluco.” “Todo mundo só quer viver a própria vida em paz, ganhar um dinheirinho, fazer um amorzinho, morrer com um pouco de comida na barriga. Só isso.”

Imagine um Final Feliz :/

51FV7M8qH9L

O livro Pequena Abelha do autor inglês Chris Cleave, conta em 270 páginas a história de Pequena Abelha, uma menina nigeriana que foge de seu país e vai para a Inglaterra. É presa como refugiada. No período em que passa a história a Nigéria está tendo problemas políticos por causa do petróleo. Algumas famílias não querem sair das terras e vê seu povo se vender para os brancos. Essas pessoas passam a ser alvo dos “traficantes de petróleo”. Pequena Abelha vêem sua família ser morta por esses homens e se escondem, mas acabam tendo que continuar fugindo até uma praia, onde encontram um casal de ingleses e pedem ajuda pra se esconder dos soldados. O guia que está com eles pede as meninas para ir embora, mas Sarah com grande coração tenta ajudar e os soldados chegam. Um capítulo é contado por Abelha e outro por Sarah.

Daí pra frente a história de todos eles se misturam em partes boas e ruins, um drama familiar, um drama racista, uma prisão, fugas e o uso da mídia de forma a ajudar o povo que vive aquela situação.

SPOILER! Por não ter um final fechado, dizendo o que aconteceu com cada personagem, o autor psicólogo, parece passar a mensagem que “por mais que façamos, não conseguimos ajudar pessoas.”

Trechos do Livro: “Aprendi sua língua num centro de detenção de imigrantes em Essex, no sudoeste do Reino Unido. Fiquei trancada lá dois anos. Tempo era tudo o que eu tinha.” “A primeira moça da fila era alta e bonita. O negócio dela era beleza, não era saber falar.” ” Todas as histórias eram tristes…a história dela deixara-a tão triste que ela não sabia o nome do lugar onde estava…” “…como foi possível me afogar num rio de gente e ao mesmo tempo me sentir tão imensamente sozinha.”