Respondendo Tag Literária

tag de a a z

TAG: De A a Z

Essa Tag eu vi no Canal da Tatiana Feltrin.

Autor preferido – Umberto Eco
Bebida preferida durante a leitura – chá com sequilhos
Citação literária preferida – “the bad artists imitate, the great artists steal” – Pablo Picasso
Detestaste ler –Memórias de uma Moça Bem-Comportada – Simone de Beavoir
Estás a ler – Tony e Suzan -Austin Wright
Feliz por teres dado uma oportunidade – O Colecionador – John Fowies
Género literário que não lês – Auto ajuda
Hardcover ou paperback? – Um pra enfeitar o outro pra levar na bolsa
Internet ou livrarias físicas? – Livraria física
Julgas um livro pela capa? – Estou pagando por ela, então…SIM.
Kobo ou kindle? –Kindle
Livro mais longo que já leste – A Tormenta de Espadas com 992 páginas.
Momento mais importante na tua vida literária – Ter lido a trilogia de Roman Rolland
Número de estantes que possuis – apenas duas com quatro nichos cada uma

estante 2
Obsessão literária – Sempre releio Rebecca de Daphne Du Maurier :/
Personagem que provavelmente terias namorado na escola – Patch de Sussurro da autora Becca Fitzpatrick.
Quantos livros tens por ler? Uns 30
Ressacas literárias. Quando foi a tua última? Há muito tempo lendo Rick Riordan.
Série que começaste e precisas de acabar – A Trilogia de Merlin; só li o Vol. I A Caverna de Cristal.
Três dos teus livros preferidos de sempre – Senhora de José de Alencar; Rebecca e O Retrato de Dorian Gray.
Último livro que leste – A Visita Cruel do Tempo
Voltarás a ler – Crime e Castigo
Wishlist literária. Qual o último livro que adicionaste à tua wishlist? A Livraria de Penelope Fitzgerald
X marca o lugar. Qual o 24º livro da tua estante? =D Memórias de Uma Gueixa
Ya ou livros adultos?  Romance Histórico
Zzzz…Qual o último livro que te manteve acordada até tarde? Heresia

 

Quem Lê Dicionários? ¬\_(“/)_/¬

dicionario milorad

O livro “O Dicionário Kazar – Romance Enciclopédia em 100.000 Palavras – Edição Feminina” do autor Milorad Pavitch com 298 páginas nesta edição de 1989, é dividido em três livros representando as três grandes religiões: O Livro Vermelho, mostra o dicionário na visão do Cristianismo ; o Livro Verde do Islamismo ͼ; o Livro Amarelo do Judaísmo۞. O autor da Iugoslávia, especialista em Barroco é Mestre em  Literatura. A história….não há uma só história: como nos contos das mil e uma noites, várias histórias são contadas de formas diferentes em cada Livro. Algumas histórias são interessantes, algumas sem noção. Apesar dos três personagens, um de cada religião, este não é um livro religioso, pelo contrário, trata todas como uma só. E aqui, nasce os Caçadores de Sonhos.

Quer Resenha? Clique Aqui.

Trechos do Livro: “Conta-se que fala espanhol em sonho, mas este seu saber dissipa-se assim que acorda.” “…agora ele está separado do mundo por muralhas e manuscritos. Eu, que sou dotado para as cores, a tinta e as letras, reconheço cada tipo impresso pelo cheiro, durante as noites úmidas, deitado no meu canto, leio então com meu olfato, páginas inteiras desses rolos selados que jazem em algum lugar no sótão da torre.” “A paixão de olhar e de escutar e de ler é mais importante que a paixão de pintar, de cantar ou de escrever.” “Dizia para si mesmo que esse edifício parecia um livro escrito numa língua que ele ainda não aprendera, que os corredores pareciam frases nesta língua estrangeira, e as salas, palavras nunca ouvidas.”

…E Viva a Diferença!!!

equilibrium_2002_10

O filme Equilibrium com o ator Christian Bale e a atriz Emilly Watson, é uma distopia, onde o poder decide excluir a arte da vida das pessoas. Porque arte traz emoção e a emoção é imprevisível. É uma imagem futurista no meio do caos. Toda arte encontrada é queimada e a pessoa que guardava, também. O poder também distribui uma injeção com um remédio que diminui às emoções e se a pessoa deixar de se aplicar, pode ser presa. Porque na ausência do remédio ele sonha e sente. Também não podem ter animais ou perfumes, porque trazem recordações e melancolia.

A arte e as emoções só são excluídas dos menos favorecidos: podemos ver arte nas paredes do QG onde o poder está.

Um dos personagens salva um Livro. Seu melhor amigo deve denunciá-lo, mas decide não fazer. Quando ele ouve uma música de Bethoven, ele chora e não sabe porquê. Depois resolve salvar um cãozinho de ser sacrificado e se volta a favor da resistência. Que sempre deve existir. Pra mostrar que não somos todos iguais.

Ele começa temer ser denunciado por seus filhos, um menino e uma menina. Na resistência ele se apaixona, ela é presa e morre, o que faz aceitar a missão de matar o presidente.

A fotografia do filme é cinza, talvez para padronizar, tornar todos comuns. Os sons de relógios, como marcando o tempo é o som mais processado, talvez para contrapor o momento em que se ouve a música.

♪♪Livros e Música ♪♪

A visita cruel do tempo

O livro A Visita Cruel do Tempo da autora americana Jennifer Egan, com 333 páginas é um livro considerado “difícil” de ler. Lançado em 2010 e ganhador do Prêmio Pulitzer, o livro conta a passagem do tempo na vida de alguns personagens: desde a adolescência que gosta de música alternativa, drogas e sonham em ficar famosos. Para alguns o tempo foi generoso e a tão sonhada carreira bem-sucedida acontece, mas para outros, que preferiram seguir usando as drogas, o tempo só mostra o título do livro – a decadência. Cada capítulo é narrado de uma forma: às vezes em primeira pessoa, difícil de identificar no início e que passa a ser um personagem principal. E aí ele some do livro. Outros capítulos são narrados em terceira pessoa. E aí volta em primeira pessoa com um personagem novo, que você descobre ser alguém que apenas mudou de nome. E tem os capítulos narrados em forma de slides.

Todas as vidas são narradas de forma superficial, nada é aprofundado; não existe um começo, meio e fim de nenhuma vida. O tempo e a música, e a influência deles na vida das pessoas, parecem ser personagens também.

Mas a música sempre vale a pena. Ouvi várias músicas citadas no texto. =D Marquei cada página que descreve as idéias musicais. E me trouxe nostalgia.

Trecho do livro: “…era como tentar se lembrar de uma música que você sabia ter o poder de provocar determinada sensação, mas sem nenhum título, artista ou mesmo alguns compassos para traze-la de volta.”

Quer resenha? Clique Aqui.

 

O Tempo é o remédio

A capa de um livro pode sim influenciar na escolha entre deixar e levar pra casa. A primeira escolha é visual. A segunda escolha pode ser a sinopse ou o nome de um autor conhecido. A terceira escolha é um título interessante, ou uma lembrança, ou a indicação de terceiros, propaganda. Então, se eu tivesse visto uma dessas capas que parecem romance de banca de revista, eu não teria nem olhado para essa lindeza de livro Dentro de Um Mês, Dentro de Um Ano da Françoise Sagan, com 110 páginas de leveza e desencontros.

Há um grupo de personagens, nenhum se destaca mais que outro. Lembra do poema “…João amava Teresa que amava Raimundo que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili que não amava ninguém.”? Esse livro é a história de amar quem não nos ama e esquecer de quem está do nosso lado. E os arrependimentos, o tempo desperdiçado e a esperança de dias melhores.

Trecho do livro: “…Quando amanheceu, Édouard abriu os olhos. Encontrava-se numa cama desconhecida e, na altura de seus olhos, sobre o lençol, jazia uma mão envelhecida, carregada de anéis…”

#somostodosespeciais

 

Minha mãe é “portadora” do mal de Parkinson. Não anda, não tem movimentos nos membros superiores, tem problemas respiratórios e, na idade de 82 anos, se tornou criança novamente. Então me senti  representada pela autora Cristina Sànchez-Andrade na história de sua filha em O Livro de Julieta, com 160 páginas. Não tem carga dramática: a autora só quer que sua filha tenha uma vida normal. E não vê nada de bonitinho ou angelical em sua decisão de cuidar bem dela. Gosto das frases realistas e do modo de escrever com um humor sarcástico as suas respostas às perguntas sem noção.  Uma boa leitura. Vários bons filmes sobre o assunto, entraram em pauta durante 2015 e prefiro os filmes que não mostram a criança como vítima.

Novela Francesa…

UM_CORACAO_SINGELO_1257810026B Un_cœur_simple

O livro Um Coração Singelo de Gustave Flauber, com 78 páginas da Coleção Novelas Imortais, traz uma história interessante: o personagem principal, dona do coração do título, é apenas uma pessoa simples. Trabalha na casa de uma senhora que já foi rica, mas que com a viuvez, se vê com os dois filhos e essa personagem que faz de tudo na casa dessa família: babá, arrumadeira, cozinheira, governanta e depois até amiga e companheira de infortúnios da dona da casa.

Meu primeiro contato com o autor, não me decepcionou. Ele tem um jeito de crônicas, história do cotidiano, que mesmo sem um mistério, prende a atenção para a leitura do texto. Foi adaptado para o cinema francês, com mesmo título.