Livro pra Vida! =D

 

cartas

O romance epistolar Cartas a Um Jovem Poeta, do poeta alemão Rainer Maria Rilke, são cartas que o jovem Franz Kappus recebeu do Rilke, entre 1903 e 1908, quando lhe pediu conselhos sobre a escrita e em vez de aconselhar, ele lhe falou da vida, dos amores e da necessidade de se conhecer, tudo escrito em forma de poesia, não de estrofes e rimas, mas de ritmo e de leveza.                                                                                                                      Essa edição da Globo, com 111 páginas, tem uma capa maravilhosa que mostra um pote de nanquim aberto, da fotógrafa Regina Stella; tem Prefácio escrito por Nei Duclós e Cecilia Meirelles; tem uma introdução do jovem Franz que também disponibilizou o poema citado nas cartas: A Canção de Amor e de Morte do Porta-Estandarte Cristóvão Rilke.

Trechos do Livro: “Depois de feito esse reparo, dir-lhe-ei ainda que seus versos não possuem feição própria, somente acenos discretos e velados de personalidade.” “Aproxime-se então da natureza. Depois procure, como se fosse o primeiro homem, dizer o que vê, vive, ama e perde. Não escreva poesias de amor.” “Um mundo se abrirá aos seus olhos: a felicidade, a riqueza, a inconcebível grandeza de um mundo.” “O amor de duas criaturas humanas talvez seja a tarefa mais difícil que nos foi imposta, a maior e última prova, a obra para a qual todas as outras são apenas uma preparação.”

carta

Romance em forma de Poesia

livro-janela-do-sonho-patricia-bins-421011-MLB20450829787_102015-F

O livro de 1986 Janela do Sonho, da autora Patricia Bins, com 144 páginas, pode ser lido solo, mas é o último volume da Trilogia da Solidão. Li apenas este, porque estou tentando ler mais autores nacionais contemporâneos. Ela tem uma forma poética/dramática de contar a história da derrocada da família de Maria, o abandono de seu marido, o suicídio de sua filha, o casamento fracassado de seu filho, a revolução nas ruas de seu bairro e sua casa caindo aos pedaços. A capa é um óleo sobre tela de Ado Malagoli. Não combina com a história, mas é bela.

Trechos do livro: “…parei desde criança para a luta, para a conquista de posições justas e humanas. Filho de gente humilde, conheci na carne o câncer social…talvez por isso ainda não tenha tido tempo de amar uma única mulher. Não acredito em casamento  institucional ou em “tradição, família e propriedade” nos moldes atuais.”

FOR YOU…KEA.

Quando você me deixou

Todo o peso da culpa caiu sobremim

E pesou demais…

Quando você se foi

Todo o amor que eu sentia

Explodiu em meu coração

E doeu demais!

Quando senti

Que tudo “is my fault”

Todo o perdão que existe

Eu pedi.

A verdade foi demais pra nós dois.

“Máquina do tempo!

Faça com que o tempo volte

Ao momento em que ele me amou,

Ao momento em que ele ficou,

Ao momento em que me perdoou.”

Please,come back…

TRANSFORMAR A VIDA EM ARTE

Não são problemas,

são brainstorm

que quero que seja

Desafio pra minha arte.

Não são nuvens negras

Sobre minha cabeça.

São as tempestades no mar

que contrastam com o branco navio

que desliza no mar.

Pessoas indo embora?

São apenas passeios à beira mar

Como ondas que vão e vem,

Que trazem e levam.

Finanças que parecem sumir?

São investimentos

Em uma vida leve,

Uma vida simples

de viver bem e com pouco,

de se sentir livre e feliz.

Hipocrisia?

Não, realidade nua e crua,

que me ensinou que

não vale a pena chorar

pelo leite derramado,

Apenas transformá-lo em um lindo quadro

E pendurar sobre a lareira,

onde um vinho gostoso

me faz companhia…

DESAPEGO

 

mudança, tô mudando de mim,

pra me desapegar de você

Não quero ficar

também não quero ir.

Indo ou ficando,

alguma coisa mudou dentro de mim.

Já não quero ser mais eu,

Quero penas ser

Algo.

Alguém.

Quero ser importante

para alguém.

quando eu mudo,

só as boas lembranças que ficam.

Isso é bom-

Não quero levar amargura

quero mudar

de dentro de mim.

Não sei aonde vou me encontrar.

Talvez dentro de outro alguém…

CONFISSÃO NUM DESABAFO

Você não é nada daquilo

Que quero pra mim.

Alguém muito distante

Do que realmente me toca.

E porquê essa insistência?

Porque quando estou perto,

Não quero te ver,

Nem falar com você.

Mas quando estou longe,

Te queria perto.

Penso e sonho com você,

Mas ao me aproximar,

Não é como em minha fantasia.

Então,

Mudo de idéia de novo.

e não sei o que quero.

Talvez queira que pense em mim,

Que se importe comigo,

Que goste de mim “de verdade”.

Agora não vou ter mais sua voz,

que eu detesto ouvir.

Não vou ter mais as palavras,

Que são ditas errôneamente.

Não vou ter ninguém,

Pra dividir o almoço.

Alguém que me faça questionar

A cultura da vida.

Alguém que me faça ter vontade de acordar.

De levantar de manhã,

Só para ouvir um “bomdia.

foi só pra isso que eu vim aqui.”

Seu formato não me atrai,

Nada em você faz meu tipo.

Mas quando

Seu olhar encontra o meu

É como se o mundo

Ficasse diferente.

É como se fosse,

Só eu e você.

E seu olhar fixo no meu,

Me diz sem palavra,

O que realmente importa.

Talvez não foi o momento certo,

Nem o tempo certo,

Ou o lugar correto.

Mas, certamente,

Você vai passear na minha mente

Por muito tempo.

Só escrevo isso pra saber

Em quanto tempo você vai se apagar

Pra sempre.

Tentei não ouvir

As vozes na minha mente.

Tentei ser indiferente

Ao meu coração descompassado.

Tentei não olhar pra você,

Tentei não te ouvir.

Eu não sabia o que eu queria…

E você se foi.

AMOR QUE SE FOI

Não quero descrer do amor

Vejo você chegar caminhando

Como se carregasse o mundo,

Arrastando os pés,

Curvando a cabeça.

 

Ouço sua voz

Como um sino insistente

Que não me deixa dormir.

Falo com você

Frases desconexas,

Conversas sem sentido,

Palavras que vão com o vento.

 

Seu olhar de repente encontra o meu.

Perigo. Silêncio.

Olhares presos, sem desviar.

E o momento se perde

Na interrupção de outro alguém.

 

Às vezes resolvo falar, mas paro.

Às vezes você começa, mas se arrepende.

E o silêncio chega

Deixando-me perdida.

 

Eu não sei o que está acontecendo

com o amor.