Romance em forma de Poesia

livro-janela-do-sonho-patricia-bins-421011-MLB20450829787_102015-F

O livro de 1986 Janela do Sonho, da autora Patricia Bins, com 144 páginas, pode ser lido solo, mas é o último volume da Trilogia da Solidão. Li apenas este, porque estou tentando ler mais autores nacionais contemporâneos. Ela tem uma forma poética/dramática de contar a história da derrocada da família de Maria, o abandono de seu marido, o suicídio de sua filha, o casamento fracassado de seu filho, a revolução nas ruas de seu bairro e sua casa caindo aos pedaços. A capa é um óleo sobre tela de Ado Malagoli. Não combina com a história, mas é bela.

Trechos do livro: “…parei desde criança para a luta, para a conquista de posições justas e humanas. Filho de gente humilde, conheci na carne o câncer social…talvez por isso ainda não tenha tido tempo de amar uma única mulher. Não acredito em casamento  institucional ou em “tradição, família e propriedade” nos moldes atuais.”

Anúncios

FOR YOU…KEA.

Quando você me deixou

Todo o peso da culpa caiu sobremim

E pesou demais…

Quando você se foi

Todo o amor que eu sentia

Explodiu em meu coração

E doeu demais!

Quando senti

Que tudo “is my fault”

Todo o perdão que existe

Eu pedi.

A verdade foi demais pra nós dois.

“Máquina do tempo!

Faça com que o tempo volte

Ao momento em que ele me amou,

Ao momento em que ele ficou,

Ao momento em que me perdoou.”

Please,come back…

TRANSFORMAR A VIDA EM ARTE

Não são problemas,

são brainstorm

que quero que seja

Desafio pra minha arte.

Não são nuvens negras

Sobre minha cabeça.

São as tempestades no mar

que contrastam com o branco navio

que desliza no mar.

Pessoas indo embora?

São apenas passeios à beira mar

Como ondas que vão e vem,

Que trazem e levam.

Finanças que parecem sumir?

São investimentos

Em uma vida leve,

Uma vida simples

de viver bem e com pouco,

de se sentir livre e feliz.

Hipocrisia?

Não, realidade nua e crua,

que me ensinou que

não vale a pena chorar

pelo leite derramado,

Apenas transformá-lo em um lindo quadro

E pendurar sobre a lareira,

onde um vinho gostoso

me faz companhia…

DESAPEGO

 

mudança, tô mudando de mim,

pra me desapegar de você

Não quero ficar

também não quero ir.

Indo ou ficando,

alguma coisa mudou dentro de mim.

Já não quero ser mais eu,

Quero penas ser

Algo.

Alguém.

Quero ser importante

para alguém.

quando eu mudo,

só as boas lembranças que ficam.

Isso é bom-

Não quero levar amargura

quero mudar

de dentro de mim.

Não sei aonde vou me encontrar.

Talvez dentro de outro alguém…