De Novo? A escolha da tradução :/

 

O Livro de Graham Greene com 158 páginas deveria obedecer o título original e se chamar “O Capitão e o Inimigo”. Me recuso a entender a escolha do título em português. É exatamente para não ser encontrado pelo inimigos que o Capitão muda de nome, mas qual ele está usando não é importante, já que na história, ele é apenas “o Capitão”. Principalmente para o narrador, que agora que é jornalista adulto, quer escrever a história desse personagem misterioso que conheceu quando criança. Mas se tem algum mistério no livro, ele não é desvendado para o narrador.

Difícil achar uma resenha para esse livro: “Liza é um ersonagem épico” (?) “…a parte do Panamá…tramas de espionagem de forma sutil” (?) “…grande clássico de caráter universal primordial para a educação. Possui texto de fácil entendimento que estimula o leitor a pensar e refletir sobre o tema proposto.” (?) 

O livro é contado pelo personagem Jim/Victor – todo mundo tem mais de um nome no livro – desde a visita do Capitão na sua escola, lugar que odeia porque sofre bullying, e o leva embora, pra morar com uma mulher chamada Liza – pessoa com sérios disturbios, causados por um aborto mal-sucedido. Seu verdadeiro pai e sua tia, vão visitá-lo, mas o deixam morar lá mesmo. E ele e Liza tem uma boa convivência até ele se tornar rapaz, arrumar um estágio num jornal e sair de casa. Essa casa é um porão de um prédio prestes a ser demolido. O Capitão tem uma paixão platônica por Liza, e em suas viagens/fugas, ele lhe envia cartas apaixonadas. Depois da morte de Liza, Juim vai atrás do Capitão no Panamá, para descobrir quem ele realmente é. Mas ele também morre e nós os leitores nos sentimos traídos…

Mudando o Final ;)

 

O livro perdas e Danos da autora Josephine Hart com 207 páginas é uma história de como a idade não traz sabedoria: os homens ficam mais bobos conforme o tempo passa. Um homem com uma família bem estruturada, mas sem nenhuma paixão por ela, depois de certa idade, resolve procurar uma paixão nos braços de uma jornalista jovem, bonita e rica, mas com desvio de personalidade. E pra piorar, essa moça é noiva de seu filho. A história instiga o leitor a tentar descobrir como vai terminar essa tragédia; não da forma simples e comum como vemos nos noticiários.

Mas termina exatamente assim: o filho vê os dois juntos e morre. =/

Eu mudaria o final: Ele descobre que ela provocou várias tragédias antes, com seu padrasto, seu irmão, um primo, com o primeiro marido e resolve desmascará-la para salvar seu filho! =D

Quer Resenha? Clique Aqui.

Também tem um filme de 1992 com Jeremy Irons – bom ator e Juliete Binoche – ótima atriz.

Tudo vai acabar bem…

O_HEROI_IMPROVAVEL_DA_SALA_13B_1467922445595607SK1467922445B

Mais um livro sobre crianças especiais e contado pelo próprio personagem que sofre de TOC. O livro O Herói Improvável da Sala 13B da autora canadense Teresa Toten, com 316 páginas, conta a história de um adolescente que desenvolveu o transtorno após o divórcio dos pais, causado pelo transtorno de sua mãe, uma acumuladora. A história se passa dentro das reuniões do Grupo de apoio ao qual vários adolescentes participam. A história nos deixa conhecer cada um e um pouco do motivo de estarem ali. Mostra como a religião é uma válvula de escape para os problemas humanos. Mostra que o amor não fica de fora dos corações problemáticos. ❤  Só não tem final feliz. :/

O-Heroi-Improvavel-da-Sala-13B-Quote

Quer resenha? Clique Aqui.

Perturbador…

papel

Adorei a cor do livro. A história te leva a pensar coisas dos personagens e depois mudar de opinião. Esse amarelo te enlouquece, porque tudo fica meio amarelado com o tempo….

Mas vamos à história: uma mulher vive numa época em que a esposa não tinha voz ativa, apenas obedecia ao marido. Este texto foi escrito em 1892, época em que algumas mulheres começavam a lutar por direitos que não existiam. Então o médico, também seu marido, diz que a trouxe para uma casa afastada para repousar a mente cansada. Mas ela só quer escrever – e faz isso escondido. O marido se une ao irmão da mulher, também médico, que apóia essa idéia de mantê-la…trancada neste quarto com a parede coberta por um papel com grafismos que dão a ilusão de ótica de movimento.

Como leitora, não sei exatamente o que se passou na história, o que deixa uma sensação perturbadora de realidade – pode acontecer com qualquer um.

O livro da autora Charlotte Perkins Gilman, com 109 páginas, tem uma apresentação de Marcia Tiburi – de quem não li nem um livro, e posfácio e notas de Elaine Hedges.os do

Trechos do livro: “…Um desses padrões irregulares…que cometem todo tipo de pecado artístico…quando seguimos por um tempo suas curvas…elas de súbito cometem suicídio – afundam-se em ângulos deploráveis, aniquilam-se em contradições inconcebíveis.”

otical

…nas montanhas do Tibet…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAtransferir

A moral da história: nem sempre ser inteligente te faz rico. O livro de 1998  Papoulas Vermelhas do autor Alai, com  435 páginas, é escrito com uma ironia sutil, muito delicioso de ler. Conta a história de um garoto que pode vir a ser o chefe de uma cidade no lugar de seu pai, mas seu irmão que é um guerreiro quer ser o chefe. O chefe pensa que seu filho é um idiota porque ele foi “concebido” durante uma bebedeira. Mas ele se mostra inteligente e enriquece a familia, causando ciúmes em seu irmão. O personagem também é o narrador dessa história, conversando com o leitor:” Vamos deixar isso de lado e dar uma olhada na cama do chefe, que era na realidade um gigantesco….” “Agora deixe-me pensar, o que mais aconteceu naquele dia?”

Trechos do livro: “Eu temia acordar de um sonho em que eu tivesse a impressão de estar caindo, mas estar realmente caindo. Se uma pessoa deve ter medo para se sentir realmente viva, então é isso que eu temia.”

“Os escravos domésticos eram a ralé, que podia ser comprada, vendida ou utilizada à vontade. Não é difícil transformar gente livre em escrava; basta estabelecer uma regra que vise às fraquezas humanas mais comuns. É mais infalível do que um caçador experiente saltando uma armadilha.”

 

 

Ler o livro, ver o filme.

A Mulher do Viajante no Tempo livro de 2003 da autora Audrey Niffenegger com 450 páginas, virou filme romântico em 2009.

O livro conta a história do título – a mulher que fica sozinha, esperando seu homem voltar. O livro tem partes descartáveis, poderia ter menos páginas, mas é muito interessante a idéia e o desenvolvimento. Mesmo sendo drama minha última escolha para leitura, li porque já havia assistido o filme, e o filme foca na história do viajante e tem final feliz.

Trecho do Livro:”O que há de irresistível na criação artística – ou na criação de qualquer coisa, suponho – é o momento em que a idéia vaga e insubstancial se concretiza, vira coisa, uma substância num mundo de substâncias.”

Quer resenha? Clique Aqui.

tag

Canal da Juh Sporh criadora da Tag Minha Estante, Meu Mundo.

As categorias da TAG são:
1) Um marcador que você gosta muito: 

meus marcadores artesanais =)

tag 2
2) Dois títulos que você acha incríveis:

Ângulo de Repouso – significa aquela posição em que você inclina a cadeira e fica em apenas dois pés sem cair  😉

transferir-2

Por um Simples Pedaço de Cerâmica- só o título já parece poesia, e a história é poética.


3) Duas folhas de guarda que você acha bonitas da sua estante

Crime e castigo:

img_20150225_114002536

O Vermelho e o Negro:

foto1157
4) Três edições que te agradam (diagramação, tradução, tipo de página – conjunto completo do objeto-livro)

A Parisiense, Crime e Castigo e Meio Sol Amarelo
5) Um livro que você sempre indica

Rebecca de Daphne du Maurier, porque tem um final surpreendente e tem mistério, romance, sobrenatural.

rebecca
6) Dois livros que você indica para uma maratona literária

Anna e Pedro, qualquer um da Ellis Petters. São livros pequenos e de fácil leitura. E a história prende a atenção.


7) Três capas lindas da sua estante

O Mestre das Iluminuras, Papoulas Vermelhas e A Chave do Portão

iluminurastransferirtransferir-1
8) Sugestão de um conto

suspense, mistério, O Coração Delator de Edgar Allan Poe:

1462