Meu e-Book =)

enigma de uma olhada

Gostaria de pedir aos usuários do Kindle que fizessem uma avaliação do meu livro no link da Amazon. É um livro jovem adulto de fantasia e se passa na época medieval.

Mesmo se você não usa e-Reader, você pode “dar uma olhada nas primeiras páginas e deixar um comentário! 😉

Anúncios

Livro Bipolar

vulcão susan

O livro O Amante do Vulcão nesta edição da Planeta Deagostini com 422 páginas, foi escrito por Susan Sontag em 1992 e lançado para a coleção Grandes Escritores da Atualidade. É um livro que começa em 1772 é cada capítulo muda o narrador e até a forma de escrita. O narrador pode estar em primeira pessoa lembrando o passado e derepente começa um diálogo interno. Depois vemos com os olhos de um narrador presente à ação mas não onisciente. em cerca de trezentas páginas conhecemos toda a história: Na época da guerra napoleônica, um grupo de nobres fogem da Inglaterra para a Itália e se refugiam em castelos onde dão festas para esquecer dos pobres e da guerra. Depois fogem novamente para a França e Inglaterra e perdem tudo no mar. Vemos a maior parte dessa história pelos olhos do Cavalieri que se casa com a namorada de seu sobrinho, uma atriz muito talentosa.

Nas últimas páginas essa mesma história é contada pelo ponto de vista da mãe da atriz, também da mulher do herói, pela primeira esposa do Cavalieri que já morreu. E você lê a história de forma resumida mais tres vezes!!

A autora escreve bem, mas faz grandes parágrafos, com muitas descrições que não ajudam o desenrolar da história, que começa sobre o Vulcão e depois ele é esquecido. Um vulcão adormecido. Na página 120 ela faz uma divertida ode ao suicídio de gente chata.

Trechos do Livro: “Pois o mundo é vasto, com bastante lugar  para costumes , gostos, princípios e usos de todos os tipos, que, uma vez considerados dentro da sociedade onde surgiram, sempre fazem sentido.” “As coleções unem. As coleções isolam…unem os que amam a mesma coisa…isolam dos que não compartilham essa paixão.” “Cada um projeta no vulcão a quantidade de raiva, de cumplicidade com a destruição, de ansiedade quanto à capacidade de sentir que já existe na cabeça.” “Como é fina a linha entre a vontade de viver e a vontade de morrer…as pessoas são capazes de realizar as ações mais pesadas se se fizer com que estas pareçam não ter peso.”

Viver ou Sonhar

NO_CAMINHO_DOS_SONHOS_1345264591P  descobrimento-do-brasil

Acho que o autor Moacyr Scliar gosta muito do mar porque metade deste livro se passa em águas, numa caravela.

O livro No Caminho dos Sonhos, em 102 páginas dessa novela epistolar ele nos conta a vida de Wolf que veio da Alemanha para o Brasil, se casou e teve Paulo que teve um filho chamado Marcelo. É pra esse Marcelo que essa carta é escrita. Ele decide ir embora de casa porque não quer ser apagado igual seu avô e seu pai, então um amigo da família pede que leia a história dos dois antes de ir e veja que mesmo ficando ele pode ser tão grande quanto os dois.

A Adaptação de um Clássico

trist livro tristão desenho

O livro Tristão e Isolda com 231 páginas tem a adaptação por Helena Gomes para a coleção “Os Meus Clássicos” da Berlendis & Vertecchia Editores, 2009. A ficha catalográfica diz literatura juvenil e tem ilustrações de Renato Alarcão, famoso por capas de livros. As ilustrações são lindas, a história tem páginas suficientes para desenvolver toda a trama original, mas peca em nivelar a inteligência do público por baixo: “…você nasceu em um momento de muita tristeza…por isso vai se chamar Tristão”.  Fora algumas dessas escolhas para a escrita, o texto mostra toda a parte romântica da história com a paixão entre Tristão e Isolda, e como ela se casa com seu tio, a paixão passa a ser proibida. Então mostra a parte política em que esse casamento evita uma guerra entre dois reinos. Mostra pouca fantasia, apenas fala das fadas, dos poderes mágicos da mãe de Isolda. Mostra a loucura da nobreza pelo poder. Apenas fala dos cavaleiros de Artur. E tem o desfecho nem tão feliz mas não tão triste como o original.

Vale a pena a leitura para conhecer um clássico que já se tornou filme, já inspirou outras histórias e tem uma introdução onde a autora conta de onde surgiu a história.

tris filme

Livro Ilustrado ou Infantil?

raul

Livro ilustrado é sempre livro infantil? Na própria contracapa deste, tem uma informação contradizendo a ficha catalográfica:

ficha

O livro infanto-juvenil “Raul Taburin” do ilustrador francês Jean-Jacques Sempé, ambienta em 92 páginas a história do consertador de bicicletas Raul, que não sabe andar nelas, só consertá-las. Ele tenta dizer às pessoas do seu problema com as bicicletas, mas ninguém o ouve. A falta de equilíbrio sobre duas rodas, traz a falta de comunicação com as pessoas que moram em sua vila. Um dia um fotógrafo, muito falante -o oposto do Raul- pede pra tirar uma foto dele de bicicleta e juntos mostram que as coincidências fazem os grandes amigos. E juntos vão guardar um grande segredo. 😉 As ilustrações são simples e fantásticamente detalhadas!

Trechos do livro: “Ele gostava do pão quente que comprava no caminho. Se deixasse de lá as inquietudes existenciais e as angústias metafísicas, poder-se-ía dizer que era feliz.”

EM FORMA DE POESIA.

LIVRO

O Livro das Perguntas do escritor e poeta Pablo Neruda com 78 páginas, nos mostra questionamentos a respeito de tudo: desde porque o mar é salgado se os rios são doces até porque o mel é amarelo e não azul. Lançado em 2006 com ilustrações de Isidro Ferrer, este não me pareceu um livro infantil, categoria escrita na ficha catalográfico do livro. Nem todo livro ilustrado pode ser utilizado em sala de aula, esse é um exemplo. As poesias são parecidas com o Haicai, forma de poesia oriental, sem quadras, sem rimas, desconexas. Algumas das colagens feitas pelo ilustrador são interessantes, principalmente as que mostram ele próprio e o autor. O livro tem muitas citações que só leitores mais experientes vão entender: “Tem mais folhas uma pereira que Em Busca do Tempo Perdido?”, numa clara menção à obra de Proust; “Onde plantaram os olhos do camarada Paul Éluard?” citando o poeta francês; “Quando escreveu seu livro azul Rubén Dario não era verde?” poeta nicaraguense; e muitos outros poetas. Mas não adianta apresentar o texto aos alunos e simplismente dizer quem era Proust. Tem uma contextualização subjetiva para que ele fosse citado nesse poema/pergunta. E isso não é aconselhável numa aula de poesia como explica a  educadora Isabel Furini  “As aulas de poesia para crianças devem ser lúdicas. Será necessário fazer ênfase nos efeitos de sonoridade, de cores, de imagens, de movimento…nem todos os alunos terão habilidade poética.” Então mudaremos a categoria desse livro para adulto =)

Algumas perguntas realmente soam poéticas: “As lágrimas que não choramos esperam em pequenos lagos? Ou serão rios invisíveis que correm para a tristeza?” “Porque se suicidam as folhas quando se sentem amarelas?” “Sofre mais quem espera sempre ou quem nunca esperou ninguém?”

 

Biblioteca Básica #sqn =D

books

 

Vi essa Tag no Blog Leitora Cretina.

1 – Acumulador – Qual livro que você deveria se livrar, mas por alguma razão não consegue? (Orgulho de ter lido? Foi presente? Ainda quer ler? Tem algum laço afetivo?).  Livros antigos, com páginas amareladas que eu já li mais de uma vez…

Rebecca de Daphne Du Maurier e O Nome da Rosa de Umberto Eco.

2 – Colecionador compulsivo – Qual livro ou edição você sonha em ter? (livro raro, autografado, primeira edição). A coleção do Proust, Em Busca do Tempo Perdido e Sandman edição de couro americana

3 – Caos confortável – Qual livro da sua estante foi o mais acolhedor? Livros infantis: Toda Mafalda e Anne de Green Gables

4 – Nostalgia – Qual a história interessante que você teve com algum livro que tem na estante?  Eu ganhei um livro na adolescência e costuma emprestar e pedir as pessoas para assinarem na última página. Ainda tenho esse livro e uma das pessoas que assinou,  na época também adolescente, se tornou minha professora de inglês =) O livro é Não Há Tempo a Perder.
18 - capa

5 – Não toca nas minhas coisas! – Qual livro você não gosta de emprestar ou tem medo de perder? Já passei raiva emprestando livros!! 😦  Mas acho que livro tem que circular. Não empresto minha série Jean Christophe e A Parisiense
-jean-christophe-romain-rolland

 

a-parisiense-ines-de-la-fressange