…passe a garrafa!

juventude 2

Nesse livro delicioso do autor britânico de origem polonesa Joseph Conrad, participamos de uma conversa numa mesa de bar em que o protagonista nos conta suas aventuras marítimas quando era jovem com as ilustrações de Walter Ono: esse ilustrador realmente sabia da história! O narrador que está nessa mesa de bar com seus amigos, todos saudosos da juventude, conta como se tornou auxiliar de um capitão num navio que supostamente ia para Bankoc; navio em estado deplorável que a juventude dele romantizou e transformou a viagem cheia de perigo, acidentes, mortes, tempestades…em uma aventura para lembrar que na juventude tudo vale a pena. =)  Também tem um filme de 2005.

juventude

Dark…frases entrecortadas…

Livro-o-Coracao-das-Trevas-Joseph-Conrad-155824

O livro Coração das Trevas do escritor britânico de origem polonesa Joseph Conrad, que conta uma história dark sobre uma caça ao marfim em países africanos, tem em poucas páginas um autor de palavras entrecortadas, frases não terminadas, tom enigmático ao contar uma cena e muita reticência.A história, que é uma obra importante da literatura inglesa, conta sobre um ingles nomeado capitão de barco a vapor para transportar de volta à cidade um traficante de marfim denominado Kurtz que também é inglês, que as notícias dão conta que enlouqueceu nas matas selvagem da Africa. Um homem que conheceu esse homem conta como os nativos endeusavam e não deixariam o Kurtz ser retirado do local. A fama desse homem é realmente maior que o personagem. Apenas ouvimos a história junto com as pessoas que estavam naquele barco; o que sabemos do homem é o que o narrador nos diz.

SPOILER: Decepcionada, porque não tem nenhum mistério, nada a ser descoberto, nada acontece. :/ Mas acho que minha expectativa era maior porque não sei quem disse que esse livro inspirou o filme Coração Satânico, com Mickey Rourke. E eu gostei desse filme.

Trechos do Livro: “O espírito revolucionário é. ..conveniente naquilo que nos liberta de todos os escrúpulos em relação às idéias.” “…desembarcávamos funcionários da alfândega para cobrar impostos no que parecia um deserto abandonado…” ” …todos esperavam. ..alguma coisa; …matavam o tempo brigando…” “…porque nenhuma narrativa de sonho conseguia transmitir a sua sensação, aquela mistura de absurdo, surpresa e pasmo num tremor de bracejante revolta. ..” “Começava com o argumento de que nós, brancos… devemos parecer a eles (selvagens) seres sobrenaturais. ..”

O livro dentro do livro

o-motivo-javier-cercas

Adoro histórias que falam de livros ou de autores. O livro O Motivo do autor espanhol Javier Cercas, conta em apenas 120 páginas a história de escritor que está sem idéias para seus personagens. Então ele resolve usar a vida real de seus vizinhos do prédio para envolvê-los na história de seu livro. Só que sua história envolve um assassinato entre vizinhos. E ele tenta juntar a vida real com a ficção. Só que os vizinhos são mais espertos do que ele e ele nem consegue usar seu livro como álibi.

A escrita dessa primeira história do autor é muito interessante: fácil de ler, as cenas são rápidas, tudo vai evoluindo para apenas um personagem e no final todos os outros personagens participam da cena sem deixar nenhuma falha. Parece que os personagens secundários não são reais, só se tornam após “sairem” das páginas do livro. É como se o personagem autor é que desse vida aos outros personagens, isto é, seus vizinhos que habitam o mesmo prédio. É como se sua caneta guiasse todas as ações.

Trechos do Livro: “Havia subordinado a sua vida à literatura…tudo tinha sido relegado em favor da literatura. Desdenhava tudo o que não constituísse um estímulo para seu ofício. ” “Três ou quatro livros encerram, como acreditava Flaubert, toda a sabedoria a que um homem tem acesso, mas os títulos desses livros também variam de acordo com cada homem. ” “…se refugiou, como um amante que vê a sua confiança ser traída, em gêneros menores, como o conto e a nouvelle…”

Anno Domini 1523

 

castelo_alquimistas

O livro O Castelo dos Alquimistas, do autor alemão Peter G. Bartschat, conta em 364 páginas a história de um jovem enamorado que quer se vingar do assassino de sua musa, que além de tudo, joga a culpa nele. Fugitivo ele é “convocado” involuntariamente pelo bispo a se infiltrar em um castelo para investigar a morte do Conde e as práticas de alquimia. No período em que se passa a história, o poder da Igreja era superior ao poder político e sempre criavam intrigas entre os nobres e os seguidores do Bispo. Aqui um jovem meio perdido, que não tem talento pra nada, se vê envolvido num esquema de traições, mortes misteriosas, herança e um fim sem grandes reviravoltas. Mas a escrita do autor é em ritmo de aventura de cinema, então as páginas passam sem cansar.

Trechos do livro : ” Você tem uma imaginação perversa, Edgar. Ou uma inteligência aguçada. As duas coisas podem lhe causar problemas…” ” A cabeça de Conrad caiu para um lado e ao mesmo tempo na minha direção. Parecia como se o macabro acompanhante lesse por cima do meu ombro, ao mesmo tempo que eu. “

TAG Detetives

Esta é uma TAG sobre Literatura Policial que eu vi no Canal da Claire Scorzi, onde ela está fazendo o Mês da Literatura Policial. Eu leio pouca literatura policial, mas vou tentar responder. As categorias para esta Tag são:

1) 3 detetives excêntricos ou incomuns:

Meus livros favoritos de detetive são os da série CADFAEL CRÔNICAS e o Irmão Cadfael é o detetive mais incomum: ele é um monge beneditino que entrou para o claustro após trabalhar na Marinha. Então é convocado para resolver os mistérios que sempre rondam os mosteiros da região.

Frei Guilherme de Baskerville – sendo também um monge, o frei Guilherme no livro O Nome da Rosa de Umberto Eco, também é chamado para investigar uma série de assassinatos em um convento.

No livro O Crime do Mosaico, Dante Alighier é chamado para desvendar um mistério que envolve a Igreja e seus fiéis. O poeta então se torna um detetive.

2) 3 grandes antagonistas:

antagonista

Sendo antagonista aquele que tenta atrapalhar o trabalho do detetive, então escolhi:

Robert Langdon– No livro  Origem de Dan Brown o professor e linguista, sempre desvendando mistérios, tenta atrapalhar a polícia a descobrir o assassino de seu amigo, simplesmente porque seu amigo-morto, pode estar envolvido.

Um ex-detetive é contratado para investigar um assassinato e contrata o jovem cadete Edgar Allan Poe como seu assistente no livro O Pálido Olho Azul. Só que as suspeitas começam a recair sobre ele e o jovem Poe tenta então atrapalhar a investigação.

O Talentoso Mr Ripley tem o antagonista mais perfeito da literatura: a gente torce por ele! Tom Ripley se faz passar pelo amigo milionário que morreu, para viver uma vida de luxo.

3) Detetives e Música:

Leo, Gino e Ângela, um jovem trio de detetives que se divertem enquanto descobrem tudo sobre um crime: investigar o rapto de seu amigo Alfredo que havia virado famoso, graças ao mundo da música, há pouco tempo, por isso o nome “garoto de ouro”. Com o auxílio de Jaime, outro amigo de Alfredo, e uma agenda, o grupo passa a interrogar por conta própria algumas pessoas que possam ser responsáveis pelo rapto do menino.

4) Detetive mulher:

Lisbeth Salander na trilogia Millenium é apenas uma detetive virtual que ajuda um jornalista investigativo. E toda sua vida é um drama. Mas é a detetive mais Foφθℜ!!

Heather Wells  é apenas inspetora em uma faculdade de Nova York no livro Tamanho 42 não é gorda, mas resolve ajudar o amigo detetive a descobrir a morte de uma aluna.

5) Detetives e Poesia:

O jovem cadete Edgar Allan Poe – do livro O Pálido olho azul, vai desvendar o crime com a ajuda de um poema.

6) Detetives e Amor:

Karl Craven em Os Vinhedos de Salomão é designado para resgatar uma moça presa em um culto religioso, mas ele se envolve com a chefe do grupo e com mais mulheres. Não é amor mas é um detetive que quase põe tudo à perder por uma mulher.

Poirot não está envolvido amorosamente, mas desvenda um crime causado por amor em Morte na Mesopotâmia da Aghata Christie.

 

doc

 

Contos de Horror

livro-olhos-de-co-azul-gabriel-garcia-marquez-contos-D_NQ_NP_924211-MLB20502947667_112015-F

O livro Olhos de Cão Azul é um livro de contos do autor Gabriel Garcia Marquez, traz onze contos escritos entre 1947 e 1955 onde alguns nos lembra a fantasia de seu mais famoso livro (Aqui). A maioria dos contos são macabros e seriam bem lidos no mês do horror. Essa edição da Record é de 1974 e tem ilustrações de Carybé, que eu não gosto. O meu conto favorito é A Mulher que chegava às seis, onde uma prostituta que é ajudada a se alimentar todos os dias pelo dono de um bar que gosta dela. Nem o leitor, nem o dono do bar sabe o que aconteceu , mas ela que chega sempre às seis, pede pra ele dizer que ela chegou às cinco e quarenta e cinco. E o conto gira em torno desses quinze minutos. Os outros contos parecem histórias que ele tinha uma idéia inicial pra um livro, mas que não deu continuidade.

Trechos do livro: “Senhora, seu menino tem uma enfermidade grave: está morto. Apesar disso…faremos todo o possível para conservar sua vida mais além de sua morte…” “A última noite ele passou feliz, na solitária companhia do próprio cadáver.” “Não podia explicar o acontecido. Estava confusa. Só tinha a sensação de que alguém a empurrara ao vazio do alto de um precipício. Sentia-se convertida em um ser abstrato, imaginário.”

Chefe ou Líder? =D

16113467

O livro Para Minha Assistente da autora americana Lydia Whitlock mostra em 271 páginas de micro textos e infográficos as situações que uma assistente pode passar nas mãos de chefes sem noção. A autora é formada em cinema e trabalhou como assistente em Hollywood, onde surgiu um blog com o nome do livro e que deu origem ao mesmo, onde ela mostra de forma engraçada as situações mais terríveis que uma assistente pode passar. Me lembrei de algumas situações parecidas que já passei e me lembrei de outras mais absurdas ainda! =D

É um livro divertido, com um design fácil de ler e como aqueles livrinhos de piada, você pode ler uma por dia.

Um roteiro de filme?

download

O livro Os Vinhedos de Salomão do autor hollywoodiano Jonathan Latimer nos conta em 191 páginas a história do detetive Karl Craven que é contratado para resgatar a filha de um milionário que está envolvida em uma seita religiosa e não quer sair de lá. O detetive, que não tem nenhum método pra efetuar seus serviços, acaba caindo e se envolvendo numa rede onde o poder da cidade está concentrado nessa seita onde as pessoas doam todo o seu dinheiro para os Vinhedos de Salomão para tomar parte no culto religioso. O texto parece de um seriado americano, com suspenses entre cada propaganda e um final simples e previsível, apenas um plot twist (que veio a calhar) para o personagem deixar de ser um nada e se tornar o herói da mocinha. Muitas pontas soltas para os personagens secundários ou o autor fez de propósito para “emaranhar” um pouco a trama.

Trecho do livro: “Uma colônia religiosa. Plantam uvas… e criam problemas…Todos malucos. Acreditam em um profeta chamado Salomão…Ele está morto. Morreu faz cinco anos, mas os malditos idiotas ainda esperam sua volta.”

Filosofia em Quadrinhos

15068187

A HQ Nietzsche conta em 127 páginas de quadrinhos a vida do professor e filósofo Friedrich Nietzsche que morreu em 1900 aos 55 anos, após um período de loucura onde permaneceu internado. Nesse livro ficamos sabendo de sua “rixa” com sua irmã, que após a loucura do irmão e recente aumento nas vendas de seus livros, altera os textos mais imorais e anticristãos e torna-se sua herdeira. Parte de suas idéias niilistas estão nos quadrinhos, mas que não vejo como uma boa introdução à filosofia para adolescentes. Para isso, ainda indico O Mundo de Sofia, do Jostein Gaarder.

Os desenhos são de Maximilien Le Roy que idealizou o projeto e convidou o filósofo Michel Onfray para escrever o texto.

Trechos do livro: “Mesmo durante o sono, as idéias de Schopenhauer dançavam em minha cabeça sem que eu soubesse se ainda estava lendo ou dormindo…” “Seria perfeito! Conversaríamos muito, leríamos um pouco, escreveríamos menos ainda. Acho que era assim que faziam Platão e seus discípulos…” “A senhora sabe, a liberdade é um grande luxo. Quanto menos você possui, menos é possuído!”

 

Um Suspense no Oriente =)

morte-na-mesopotc3a2mia

O livro da famosa autora de mistério Agatha Christie MORTE NA MESOPOTÂMIA, conta em 283 páginas mais um mistério desvendado pelo detetive Poirot, aqui com a ajuda de uma jovem enfermeira, que conta essa história em primeira pessoa. Um grupo de pesquisadores está trabalhando numa escavação e descobrindo objetos raros, enquanto situações estranhas passam a acontecer com a esposa do chefe da equipe. Então ele contrata uma enfermeira para cuidar de sua esposa que está com os nervos à flor da pele. A enfermeira se torna observadora de todas as pessoas que fazem parte da equipe. E quando acontece o crime, Poirot é chamado para investigar e conta com a ajuda da enfermeira para descobrir o assassino.

Trechos do livro: “Essa história trata de seres humanos, não de bonecos! Seja pessoal… seja preconceituosa… seja indelicada… seja tudo o que bem lhe aprouver! Escreva à sua maneira.” “O que lhe fez pensar que habitávamos um mundo singular, em que duas pessoas conseguiam ver a mesma coisa de modos diametralmente opostos. Não me expliquei muito bem, mas você pode adivinhar o que eu quis dizer.” “No fim das contas é melhor não falar mal dos vivos. É bem possível que isso os prejudique. Os mortos não correm esse risco. Mas o mal que eles causaram sobrevive a eles.” “Pra ser sincero, não é recomendável contar a homem nenhum a verdade sobre sua esposa! Por curioso que pareça, eu revelaria à maioria delas a verdade sobre os maridos… as mulheres são realistas fabulosas.”

p466168_b_v8_ar