ESTANTES DE LIVROS

Várias formas de organizar os livros:

especialista em lombadas: gosto do modelo europeu para ficar de pé, e modelo americano para mesa:

http://abrindoolivro.wordpress.com/

lomb2

como arrumar as lombadas:

http://livroscomresenhas.blogspot.com.br/

http://blogprefacio.blogspot.com.br/2013/02/tag-as-10-lombadas-mais-bonitas-da.html

http://livroterapias.blogspot.com.br

lom amer

o blog do Samir Machado é só sobre capas de livros. Ele mostra as capas da coleção James Bond. Maravilhosa! http://sobrecapas.blogspot.com.br/search/label/ian%20fleming

007

SOBRE LOMBADAS E CAPAS

poesia-de-lombada2

Spine poetry, ou poesia de lombada, é a arte de empilhar livros de tal forma que os títulos formem um TIPO DE POEMA. Consta que a ideia surgiu em 1993, mas foi só no ano passado que a prática começou a virar febre no mundo. Essa foi feita por Sergio rodrigues, da Veja:

“O país do Carnaval

toda terça, o amor acaba

um passeio pela cidade do Rio de Janeiro-Cidade de Deus- inferno

asfalto selvagem…

onde estivestes de noite?

no shopping.

depois que acabou,

abraçado ao meu rancor,

Um beijo de Colombina…”

(ex: http://bookriot.com/2012/10/26/the-best-of-book-spine-poetry/ este blog canadense faz até competição de poesia de lombada. essa ficou muito boa:

http://bookriot.com/?attachment_id=31219

este é ótimo, pra quem sabe inglês:

http://100scopenotes.com/2012/04/02/2012-book-spine-poem-gallery-2/)

tem uma desenhistas que desenha lindas lombadas:

 

visite o site

http://www.brainpickings.org/index.php/2012/11/13/my-ideal-bookshelf-jane-mount-thessaly-la-force/

SOBRE ESTANTES – Blogs

Pra quem gosta de livros(não só para ler) indicação de alguns blogs:

(http://www.minhaestante.com/) ele conta sobre estantes de várias blogueiras de sites de leitura. Essas são as estantes mais interessantes:

http://www.silencioqueeutolendo.com.br/

a autora deste site criou duas regras básicas para organização dos livros na estante:

1ª regra (e mais importante): NUNCA separar séries, a regra também vale para autor, a não ser que não esteja dentro da segunda regra.

2ª regra: Tamanho. Ela separa principalmente por tamanho. Só deixa os livros na mesma prateleira de tamanhos diferentes se forem da mesma série.

Depois disso, a organização vai variando. Sempre que faz limpeza ou organiza novamente ou quando chegam livros novos, ela fica de um jeito diferente. Atualmente eles estão por cores, mas ela gosta de colocar autores juntos.

—————–

http://www.livroseblablabla.com/

E ela não tem um critério exato para organizar a sua estante, costuma separar por editoras e manter as séries e os livros do mesmo autor sempre juntos.

———————–

http://www.minha-vida-literaria.blogspot.com.br/

A autora sempre sonhou em ter a estante da Bela, de “A Bela e a Fera”. Como sempre gostou de ler e guardar seus livros, iniciou sua coleção há dois anos. a estante fica no seu quarto e é organizada por gênero e tamanho, sendo que entre os diferentes tamanhos, ficam separado por autor.

—————

http://www.punkreader.com/

a  autora ao invés de organizar por cores, editoras, gêneros, ou seja lá o que for… ela separa entre lidos e não lidos. Assim consegue encontrar os livros que quer ler mais rápido.

http://literaturaapaixonante.blogspot.com.br/

a organização perfeita pra mim é a que cada um entende, mas me identifiquei:

http://levemaisleve.com/2013/01/07/como-organizei-meus-livros/

bolinhas

DIARIOS GRAFICOS

scket

os sketchbooks (sketch=esboço, book=livro), são livros e cadernos pessoais de rascunhos, onde os artistas geralmente registram através de escrita ou na forma de imagens, suas idéias, fatos que ocorreram no dia-dia, sensações e emoções. É, literalmente, um diário gráfico do artista. No entanto, o sketchbook é mais do que um simples diário, nele o designer ou artista visual reúne idéias que podem ser usadas no futuro, tornando-as uma peça de design ou um anúncio de sucesso.

Desde não se sabe ao certo, artistas mantém o hábito de encher páginas e páginas com esboços e notas. O mais famoso sketchbook já fabricado até hoje é o conhecido Moleskine, que ficou famoso por suas formas simples e elegantes, e por ter sido utilizado por artistas como Pablo Picasso e Vincent Van Gogh, ou até mesmo pelo quadrinista e romancista Neil Gaiman.

leonardo

No sketchbook podemos expressar nossos pensamentos e sensações através da forma ou da escrita sem nos prendermos a regras ou possíveis críticas externas, pois um sketchbook pode ser pessoal ou público, cabe apenas a seu proprietário decidir o que fazer com ele. Preenchê-lo é um hábito que estimula a criatividade e pode-se conhecer muito de uma pessoa apenas por suas páginas, eles acabam marcando fases da vida de seu dono e a evolução de seu trabalho. Por esse motivo muitas vezes os sketchbooks são considerados peças de arte em si, devido a sua encadernação e ao seu conteúdo, pois demonstram todo o processo de criação de um artista e sua visão sobre os mais variados temas, e sobretudo, sobre a vida.

copta

LENDO POR AÍ…

subita

Terminei a leitura de Morte Súbita – livro adulto de J.K.Rowling, autora da série de Harry Potter. O título em inglês faz jus à história.  Casua Vacancy. E o livro só fala sobre isso. A capa é horrível . Eu não compraria esse livro pela capa.

O que se espera de uma autora que você é fã e desenvolve aventuras terríveis e deixa o leitor com curiosidade, ansiedade e saudade? Um texto parecido. Esse não tem a marca da autora que a gente conhece. Parece escrito por outra pessoa. Primeiro, o que torna esse livro,  um livro para adultos? Falar sobre drogas? ela apenas cita que alguém vende ou alguém já usou. Cigarro e álcool? nem existem excessos por parte dos adultos. O cigarro, tanto como a bebida,  é citado como uma brincadeira entre adolescente. O abuso? Fica subentendido que a pessoa que “pensa que cometeu os abusos, é esquizofrênica e não tem certeza de nada. Então, pensando bem, se J.K.Rowling estudasse comigo no ensino fundamental, ela ía corar com os livros indicados pela escola para os adolescentes: Gabriela, Luzia Homem, O Mulo, O cortiço e lá vai.

Achei o livro chato pra adolescente, já que não tem aventura, e sem graça pra adulto, já que não acontece nada de mais. Faltou algo.

Agora estou lendo o que seria uma trilogia, mas que já foram lançado 4 livros: Assassin¹s Creed.

Lendo ainda o primeiro livro, locado numa biblioteca pública, fiquei em choque com o seguinte diálogo:

cliente:_Só tem esse volume do livro um que ela tá levando? (no caso eu).

atendente:_Só. mas você pode levar o dois ou o quatro. ali na segunda estante.

Cliente:_Mas eu ainda não li o primeiro. Será que dá pra ler um sem o anterior?

Atendente:_É cada um uma história diferente da outra. Todo mundo pega qualquer um. Esse o Crepúsculo, eu só li o último e sei a istória toda! (se achando!)

Cliente:_ Tá bom. então vou levar o dois.(vai embora)

Eu:_eu num leio o dois sem ler o primeiro.

Atendente:_eu nunca li nenhum livro desse!

Eu: (?)

Não concordo com a atendente. Toda história começa do começo, isto é, do livro um. Fora a série “Marcada”- achei cansativo, porque todo livro pode ser lido sozinho, porque o seguinte conta um resumo do livro anterior- toda série, toda trilogia eu começo do começo e vejo que nenhum pode ser lido antes o outro. você conhece os personagens, escolhe seu favorito, anda pelos caminhos, pelos lugares e tudo fica familiar.

Tem pessoas que  pulam linhas, pulam páginas, e dizem que leram tudo. Até leitura dinâmica lê todo o texto-  eu me obrigo a ler até a página 100- se a história não foi boa até aí, não será mais. eu Leio prólogo, prefácio, orelha, epílogo, índice, TUDO!

O amor é cego

TRADUÇÃO

Quem decide os títulos em portugues para os livros e filmes? Li numa revista que os títulos são alterados de acordo com cada país. Alguns títulos de filmes, mesmo diferentes, conseguem fazer jus ao original. Esse é o caso de desenho Os Sem Florestas, sobre uns animaizinhos que vão para a cidade porque a cidade avançou sobre seu território, a floresta. No original, Over the Hedge, literalmente, “por cima da cerca”, que divide a cidade com a sua floresta. Um distribuidor de filmes americanos no Brasil disse que é preferível a tradução literal e que ela apenas é mudada quando “não soa muito bem” comercialmente. É o caso de Scary Movie -tradução literal: filmes de assustar- que foi uma paródia da série Pânico (no original, Scream-grito) que no Brazil se chamou Todo mundo em Pânico. Uau!

Alguns títulos são similares ao original (no caso aqui, Americano-mas os títulos Franceses e Germânicos, não ficam atrás.)e outros ganham um subtítulo: O código da Vinci, como no original e Sin City: A cidade do Pecado, com um subtítulo. assim fica dificil conversar sobre filmes com um estrangeiro! A good title captures the spirit of a movie in as few words as possible:

_Did you see, the man  with a golden dick? (!!!)

_What the fu*#&!

_a parody of  a James Bond film with a character named Austin Powerr!

_Ah! goldmember is a reference of a goldfinger, the filme 007!

O Homem do Membro de Ouro é uma boa tentativa, mas não captura o espírito do original em ingles.

Essa semana passou um filme na Sessão da tarde em que um homem só se apaixona por uma gorducha, quando hipnotizado. O nome? O amor é cego. Porque os dois tem um final feliz? O nome original Shallow Hal – Hal, o superficial – é menos discriminatório e bem mais verdadeiro, quando se refere a história do filme. a capa ficou perfeita: a sombra dela gordinha e ela real.

Queria ler os livros de Shakespear em seu idioma!

BLOGS QUE EU CURTO

BLOG

Este blog tem

resenhas de livros de vários autores e sorteios  de livros.

Acho legal ler a sinopse da história e não saber a história toda,nem aopinião do leitor.

caçadora

http://www.cacadoradelivros.com/search/label/Tour%20da%20Ca%C3%A7adora

estesitetem resenha dividaspor autor e compara filmes e livros. Muitobom!

estante

como uma teia de aranha essa estante mostra como podemos nos envolver nas histórias dos livros…

http://www.estantedelivros.com/2013/01/leituras-de-2013.html

Neste site a autora posta “das palavras à imagem” sobre livros e filmes.