Receitas…sem sabor :/

O livro A Parte Mais Tenra da autora, que é especialista em gastronomia, Ruth Reichl, conta em 304 páginas a história de uma menina americana que tem vergonha da comida da mãe, fica na cozinha junto com a tia-avó vendoa-a cozinhar maravilhosamente bem, vive numa família desestruturada, tem um irmão por parte de pai. Adolescente ela vai aprender francês no Canadá, aprende sobre a cozinha francesa ao frequentar a casa do ministro francês. Faz Artes e Mestrado em Artes e se casa com um artista. Viaja pra Europa e conhece a cozinha italiana ao se hospedar numa Villa. Ao voltar começa a trabalhar de garçonete. Depois começa a escrever sobre restaurantes e seus pratos.

Acho que a história pode ser semi-biográfica, até o nome da personagem é o mesmo. Me decepcionou o livro não cumprir a premissa ou os “blurbs” da contra-capa. Esperava algo no estilo “cozinhar salvou minha vida”, mas apesar de todos os gatilhos, a personagem nunca tentou ser uma “chef de cuisine“.

Trechos do Livro: “…ela foi a primeira pessoa que jamais conheci que entendia o poder da culinária… mas cozinhava mais para si própria do que para os outros.” “Vendo a… preparar uma gougère na cozinha, perguntei-me o que a imaginação tinha a ver com aquilo. Parecia-me que cozinhar era sobretudo uma questão de organização.”

Romance de formação?

O livro Não foi nada do autor chileno Antonio Skármeta conta em 106 páginas a história de uma família que foge da ditadura do Chile e vai morar na Alemanha, depois do golpe militar de 1973. Apesar de ser indicado como um Bindulgsroman, ou romance de formação, a história mostra um período muito curto da vida do adolescente e parece com um desses diários com chave. Ele é chamado pelo apelido de “eswarnicht” que dá título ao livro, frequenta escola com o irmão, se apaixona pelas meninas alemãs, fala sobre seu país na escola, frequenta os clubes de militância política com o pai, briga e faz amizades.

Já que para ser considerado romance de formação, a história deve contar o trajeto entre “infância à maturidade, em busca de crescimento espiritual, político, social, psicológico, físico ou moral“, esse episódio curto da vida de um adolescente está na indicação errada.

Trechos do Livro: “Para variar, papai me disse que ia me dar um tabefe por ficar perguntando besteiras. Como devem ter percebido, meu paizinho colabora com entusiasmo e carinho na educação dos filhos. ” “É que estou contando tudo misturado e aos pulos. Mas houve um tempo em que eu era a criança mais triste de Berlim.”

Fábula Israelense

O livro De repente, nas Profundezas do Bosque do famoso autor israelense Amós Oz, conta em 139 páginas a história de uma cidade sem animais. Não tem canto dos pássaros, latido de cachorros, não tem leite de vaca pra beber, nem ovos de galinhas pra comer. Todos vivem de vegetais e legumes. Não tem peixes no rio. As crianças só conhecem os animais através dos livros de história. Existe uma lenda por trás do sumiço dos animais: um feiticeiro que vive no bosque roubou todos eles. Duas criança resolvem entrar na floresta pra descobrir a verdade.

O livro tem um ritmo de suspense, mas sem descobertas fabulosas no final. A finalização do motivo da cidade não tocar no assunto do sumiço dos animais, deixa a desejar, mas é uma fábula e tudo pode acontecer na história. É uma história sobre bullying e a não-superação dele.

Trechos do Livro: “Almon discutia com o espantalho, às vezes longamente e com raiva…e tentava…convencê-lo, ou pelo menos fazê-lo alterar um pouco as suas opiniões inflexíveis.” “Talvez aqui entre nós exista de verdade uma antiga loucura…pois quem não sabe não pode ser considerado culpado. E também não se contamina.” “…vocês dois poderão tirar a roupa e entrar…Aqui entre nós não há nenhuma vergonha em ficar sem roupa…”

Filosofia ou Romance?

20190717_084054-14026195087034040261.jpg

O livro Ensaios de Amor do autor suíço Alain De Botton, conta em 204 páginas um ensaio filosófico sobre o amor. Mas também é a história de um homem que encontra uma jovem comum em um avião e vai descobrindo as diferenças entre eles, mas ao sair do aeroporto, pensa que está apaixonado e faz de tudo pra engatar um romance com a moça. Em cada capítulo devidamente numeradas as idéias sobre a paixão, o amor e até o que odiar na pessoa amada, ele vai contando em primeira pessoa como tudo foi rápido e de repente estavam passando tempo com as famílias um do outro e como pequenas coisas incomodavam no relacionamento.

Um texto hilário, que pode ser considerado filosofia porque traz profundas reflexões acerca do amor entre seres humanos. O livro contém spoiler de Madame Bovary, que eu ainda não li.

Trechos do Livro: “A conversa foi se aprofundando, permitindo que um vislumbrasse fragmentos do caráter do outro.” “Tínhamos até a mesma edição de Anna Karenina em nossas estantes…pequenos detalhes, talvez, mas não era baseado neles que crentes fundavam religiões?” “Eu tenho uma tendência horrível para confessar coisas que não fiz. Sempre tive fantasias sobre me entregar à polícia por algum crime que não cometi.” “Eu não estava mais preocupado em localizar… verdades poéticas em sua sintaxe, o que importava não era tanto o que ela estava dizendo e sim o fato de que ela o estava dizendo – e que eu havia decidido encontrar a perfeição em tudo o que ela pudesse escolher proferir.” “Será que eu estava certo em detectar traços de flerte nos finais de suas frases e nos cantos de seus sorrisos…?” ” Os mais atraentes não são aqueles que nos permitem que os beijemos de imediato (logo nos sentimos desinteressados) ou aqueles que nunca permitem que os beijemos ( logo os esquecemos), mas aqueles que sabem ministrar cuidadosamente diferentes doses de esperança e desespero. ” “Não amaríamos se não nos faltasse alguma coisa, mas nos ofendemos ao descobrir uma lacuna semelhante na outra pessoa.”

Judas O Obscuro

O livro Judas O Obscuro é um romance/drama escrito pelo poeta inglês Thomas Hardy para a Harper’s Magazine de 1894 à 1896. Essa é a primeira parte da Leitura Compartilhada onde vamos conversar sobre as primeiras cem páginas.

Aqui conhecemos Jude, um órfão que mora com uma velha tia-avó pobre. Ela quer que ele trabalhe nas terras dos vizinhos, mas ele quer estudar e gosta de ler. A primeira parte se passa em Marygreen, uma cidade do interior onde todos se conhecem. Ao trabalhar espantando pássaros da plantação de um vizinho, ele relembra o professor que ensinou não maltratar os animais e deixa os pássaros comer as migalhas. Ao vê-lo, o senhor das terras dá-lhe uma surra. Ele volta pra casa humilhado. Ao conhecer um farmacêutico que viaja muito, pergunta se ele conhece a famosa cidade pra onde o professor foi. O farmacêutico lhe promete trazer dois livros se ele divulgar seus serviços médicos na comunidade. Ele faz isso e consegue vários clientes, mas o farmacêutico não cumpre sua promessa. Ele se torna pedreiro e consegue juntar dinheiro para ir estudar na cidade. Vai até uma cidade próxima para se informar e compra livros, mas se decepciona com a leitura. Começa a estudar latin. Ao se sentar sobre uma árvore, ele conhece Arabella. Eles passeiam abraçados. Ele começa a deixar de estudar pra passar mais tempo com ela. Ela diz pras amigas que faz qualquer coisa pra casar com ele. E quando ele diz que chegou a hora de ir para a cidade ela diz que está grávida. E eles se casam. E aos poucos ele descobre que ela já não era uma moça pura e que mentiu sobre tudo. O casamento foi uma armadilha e tudo comeca a dar errado. A cena dela matando o porco é revoltante. E durante uma briga ela conta que a mãe dele se suicidou. Ao voltar da rua ele vê que ela deixou um bilhete e foi embora. Ele tenta se afogar no lago congelado, mas o gelo não quebra. Ele começa a beber quando descobre que ela levou todas as suas economias e vendeu a casa deles. Ele vai para Londres e se emociona ao ver a cidade pela primeira vez.

Trechos do Livro: “The boy is crazy for books, that he is.” “People say that, if you prayed, things sometimes came to you, even though they sometimes did not.” “Some way within the limits of the stretch of landscape, points of light like the topaz gleamed. The air increased in transparency with the lapse of minutes, till the topaz points showed themselves to be the…windows…domes…miraged in the peculiar atmosphere.” “But his dreams were as gigantic as his surroundings were small.” “When Jude awoke the next morning he seemed to see the world with a different eye.” “Their lives were ruined, he thought; ruined by the fundamental error of their matrimonial union: that of having based a permanent contract on a temporary feeling wich had no necessary connection with affinities…”

Shadow Reading: pra quem quiser acompanhar a leitura em inglês junto com o áudio, eu criei uma playlist no Youtube Aqui.

Os assassinos também são doenças :/

O livro Ardabiola do autor russo Ievgueni Ievtuschenko, edição de 1984 da Editora Best Seller, conta em 119 páginas a história de um botânico que cria a planta que dá título ao livro à partir do cruzamento de um inseto com uma planta. Essa planta seria a cura do câncer, e em sua tese de mestrado quer financiamento pra provar isso. Esses estudos acabam com seu casamento, e após achar que seu teste com a ardabiola surtiu efeito em seu pai, recebe a notícia que seu pai morreu de causa desconhecida.

O autor foi um dos primeiros poetas russos a ser conhecido no ocidente. Nesse romance faz uma crítica ao consumismo por coisas estrangeiras que virou febre após o fim do comunismo e até aonde um jovem pode ir pra ter o que não pode comprar.

Trechos do livro: “Um médico não tem o direito de se acostumar à morte. Se isso acontecer, ele deve abandonar a medicina.” “Vejo a coisa da seguinte maneira: as doenças são assassinas, mas os assassinos também são doenças, com tudo que isso acarreta.”

Aventura nacional

O livro O Perigo me Procura do autor nacional Wilson Rocha, conta em 159 páginas a história de Messer, herdeiro da tia rica, com quem vive na Europa, suas aventuras vêm de seus muitos livros. Para quebrar essa segurança toda, aparece para uma visita, seu primo brasileiro. Traz toda uma mudança de rotina para a casa e para a vida dos dois. George é expansivo, alegre, divertido, gosta de garotas e festas. Acontece um acidente e a tia de Messer (e também de George) morre. Então Messer se vê embarcando junto com o primo numa aventura rumo ao Brasil.

A história tem um cunho social e ecológico, mostrando o abandono social que a tia rica faz ao escolher um sobrinho pra levar pra Europa e deixar o outro no orfanato e os efeitos desse abandono no jovem. Ao colocar a aventura na Amazônia, coloca em pauta toda a devastação das terras, as queimadas, a venda ilegal de árvores, a briga entre os índios e os madeireiros. Continua atual mesmo tendo sido escrito em 1998. O autor que foi um dos roteiristas do Sitio do Picapau Amarelo, faleceu em 2014.

Problemas: esse não é um livro “infanto-juvenil” como marcado na ficha catalográfica. Juvenil sim, porque adolescentes já entendem o certo e errado.

Trechos do Livro: “Todos têm o direito de optar por se manterem fracos-dizia ela-Ninguém é obrigado a viver disputando medalhas para provar que é melhor que outros!” “Messer não utilizava mais o cérebro. Desistira por completo de pensar, refletir, raciocinar, calcular, imaginar. Rendera-se ao inevitável, odiando-se por sua fragilidade, por seu despreparo para a aventura.”