Uma piada séria =D

O livro Como Woody Allen pode mudar sua Vida do autor Eric Vartzbed deveria ser um livro de auto ajuda, já que o autor é doutor em psicologia. Mas em 103 páginas temos a biografia cinematográfica do gênio ensinando engraçadas lições de vida. Ele cita as mais famosas obras do Allen e de outros escritores e diretores de cinema, para “analisar” os relacionamentos, a religião, o dinheiro, a vida. É um livro divertido, recheado de informações e quando termina, dá vontade de ir correndo ver ou rever alguns filmes do Woody.

Trechos do Livro: “Embora casada, cercada de alunos e admiradores, ela se assemelha aos verdadeiros solitários, aqueles que, em meio a uma animada multidão, arrastam consigo o próprio deserto.” “”Quanto mais conhecimento, mais sofrimento”, suspirava o Eclesiastes…” “O humor… revela nossa ambiguidade moral…é o entusiasmo pela relatividade das coisas humanas, o estranho prazer derivado da certeza de que não há certezas.” “Woody Allen dá a impressão de pertencer sobretudo ao PC, “Partido Cético”. Pessimista desencantado, ele milita a favor da dúvida e se engaja no desengajamento.”

Anúncios

Filósofo, Cientista e Monge Excomungado

O livro Profecia da autora S. J. Parris é o segundo da série que pode ser lida separadamente, conta em 319 páginas a história de Bruno, um monge italiano excomungado. Contada em primeira pessoa, em 1583 está acontecendo várias tramas entre Inglaterra e Escócia para ver quem vai ficar com o trono. A França e a Espanha oferecem seus acordos. Mas uma das tramas pode dar errada quando uma das dama de companhia da rainha Elizabeth aparece morta de forma misteriosa. Esse escritor e filósofo é chamado para ajudar a descobrir o assassino. Então ele se infiltra no grupo da rainha Mary. Ele passa por vários problemas até ele mesmo se questionar porquê ele faz tudo errado: acredita em todo mundo, sabe que tá sendo vigiado mas continua fazendo papel duplo, sabe que a mulher do Embaixador está tramando, mas quase se envolve com ela.

Só nas cinquenta páginas finais o complô é descoberto mas nem todos são acusados e presos.

Trechos do livro: “Por um instante, reflito sobre o caminho estabelecido para as jovens nascidas na nobreza: quão brevemente lhes é permitido brilhar, serem exibidas e admiradas em público em seu próprio meio social, só o tempo exato que levam para encontrar um marido adequado.” “Conheci filósofos em Paris. Eram homens tranquilos, de barbas cheias de poeira, que se dedicavam exclusivamente à seus livros. Não entravam pelas janelas de madrugada cobertos de sangue e excremento.”

Encontre sua Voz

O livro O Silêncio Das Águas da autora americana Brittainy C. Cherry conta em 363 páginas a história de Maggie May dos dez anos até a vida adulta. Aos dez anos Maggie é apaixonada por Brooks e quer se casar com ele. Ela vive com seu pai, sua madrasta e dois meio-irmãos. Ela passa por um trauma e fica sem voz, então usa um quadro pra escrever e se comunicar. Também nao consegue sair de casa: tem um ataque de pânico toda a vez que tenta. Todos tentam protegê-la do lado de fora, mesmo sem saber o que aconteceu que a fez ficar assim. Então ela estuda em casa, vê seu amigo da infância se apaixonar por outras garotas. Nada faz ela mudar ou tentar mudar p comportamento. Ela vê seus pais e sua irmã brigarem por causa de seu comportamento. Até que acontece uma tragédia na vida de seu amor/amigo pra que ela saia do casulo. E precisa da voz da bibliotecária dizendo pra não deixar ele tratar mal, pra ela começar a gritar. Cada capítulo é alternadamente a voz de Maggie e de Brooks.

Faltou algumas coisas pra dar 5 estrelas pra esse livro:

⚠️1. Porque ela deixa as pessoas pensarem mal dela, até seu pai tão amigo, mas não escreve o que aconteceu? Egoísmo. “Quero me afundar no meu problema ”

⚠️2. Quando o namorado da irmã grita, ela é a primeira a não aceitar. Mas quando o Brooks passa dias gritando com ela, ela deixa.

⚠️3.Brooks era o melhor personagem, super cabeça, e não foi a tragédia ou perder os dedos que transformou ele num babaca: foram as fofoquinhas da internet. Ah, me poupe!

⚠️4. Ela ouve as desculpas do filho do assassino e diz que ele não tem culpa. MAS ELA TÊM. Ela deveria pedir desculpas a ele por ter deixado ele pensar mal da mãe; pedir desculpas à família por não ter contado antes.

⚠️ 5. A Sra Boone é a melbor pessoa, que não tem tempo pra mimimi. Mesmo tendo passado por uma tragédia.

Trechos do Livro: “Uma pessoa nunca relê um livro excepcional e segue em frente com as mesmas crenças. Ele sempre surpreende e desperta novas idéias, novas formas de olhar o mundo…” “…me inscrevi em diversas faculdades que ofereciam mestrado à distância, mas não fui aceita em nenhuma. Meu currículo maravilhoso provavelmente não valia muita coisa, considerando que fiz poucacoisa na vida. ” “…o artista havia se esgueirado pela minha mente…em algum lugar no mundo, alguém estava se sentindo exatamente como eu.”

Gutenberg: a ficção da história real.

O livro O Aprendiz De Gutenberg da autora americana Mestre em Belas Artes Alix Christie, conta em 366 páginas a história do processo de criação dos primeiros tipos e primeira impressora nos anos 1450 na Alemanha. Gutemberg tinha toda a idéia de repetição de textos feitos em placas de zinco ou formas de letras de madeira. Com a injeção de dinheiro por um rico mercador chamado Fust ele vê a chance de ganhar dinheiro com os negócios escusos da igreja e da política. Então Fust decide trazer seu filho adotivo para aprender o negócio da prensa de livros. Peter acha isso tudo uma blasfêmia já que ele estudou a vida toda para ser um escriba. A história tem dois tempos: no presente onde Peter é rico e dono da melhor gráfica e o passado onde tudo começou.

Nada se passa de forma simples, muitas intrigas religiosas, traições aonde envolve dinheiro e no final as idéias do escriba para reproduzir sua própria escrita e salvar os livros dos soldados é emocionante.

A autora fez toda uma pesquisa na Alemanha e em Londres e a capa do livro é uma reprodução das iluminuras do velino de Gutemberg.

Trechos do Livro:” Pela lei, o mestre tornava-se seu pai a partir do momento em que Peter entrou para trabalhar com ele. ..como aprendiz, ele agora pertencia a esse louco, assim como se tivesse nascido filho dele.” ” O negócio de qualquer negócio é descascá-lo: quanto mais limpo e mais simples, melhor…” “…apreciava status. Era a maldição de todos os que nasciam sem privilégio nenhum, mas dotados de cérebro para tentar subir na vida.” ” Como era odioso o poder deles agora, dispostos contra a respiração desses novos homens, o alvoroço da renovação fluindo pela oficina…” ” A carta expedida pelo papa naquele ano era do tipo mais alto: uma indugência plenária garantindo a remissão completa de todos os pecados.”

Última Parte de Judas O Obscuro

20190726_092415-12674625377893758947.jpgA última parte da leitura vai da página 409 até a página 489. Foi uma leitura difícil em duas formas: no inglês antigo e mais difícil de entender e no drama que se desenrola.

Jude começa a achar Sue muito diferente após o enterro das crianças. Sue diz a Jude que acha que perder os filhos foi uma punição por ter deixado seu marido pra viver em adultério com ele. Jude começa a perder a paciência com Sue, por ela sempre não dar valor ao sentimento dele. Ele descobre que Sue está frequentando a igreja. Ele a segue. Ela diz à ele que vai voltar pro ex-marido. Phillotson a aceita de volta e marca um novo casamento e eles se casam em Marygreen. Jude fica inconsolável.

Arabella que armou tudo novamente se casa com Jude. Ele está muito doente e pede pra ela escrever uma carta à Sue. Ele vai, mesmo doente, à igreja e encontra Sue e eles se beijam. Ele propõe à ela ficarem juntos e ela foge.

Jude está muito ruim tossindo e com febre. Sue decide tornar seu meio-casamento real e completo. Arabella sai pras festividades de verão e ao voltar vê que Jyde está morto. Então ela volta pra festa e só depois chama as vizinhas para ajudá-la. Só a viúva e Arabella velam Jude.

The End.

Trechos do Livro: “I see marriage differently now. My babies have been taken from me to show me this! Arabella’s child killing mine was a judgment-the right slaying the wrong.” “Do not do an immoral thing for moral reasons! You have been my social salvation. Stay with me for humanity’s sake! You know what a weak fellow I am…my weakness for woman-kind and my impulse to strong liquor. Don’t abandon me to them…” ” My children are dead…they were sacrificed to teach me how to live! Their death was the first stage of my purification.”

Filosofia ou Romance?

20190717_084054-14026195087034040261.jpg

O livro Ensaios de Amor do autor suíço Alain De Botton, conta em 204 páginas um ensaio filosófico sobre o amor. Mas também é a história de um homem que encontra uma jovem comum em um avião e vai descobrindo as diferenças entre eles, mas ao sair do aeroporto, pensa que está apaixonado e faz de tudo pra engatar um romance com a moça. Em cada capítulo devidamente numeradas as idéias sobre a paixão, o amor e até o que odiar na pessoa amada, ele vai contando em primeira pessoa como tudo foi rápido e de repente estavam passando tempo com as famílias um do outro e como pequenas coisas incomodavam no relacionamento.

Um texto hilário, que pode ser considerado filosofia porque traz profundas reflexões acerca do amor entre seres humanos. O livro contém spoiler de Madame Bovary, que eu ainda não li.

Trechos do Livro: “A conversa foi se aprofundando, permitindo que um vislumbrasse fragmentos do caráter do outro.” “Tínhamos até a mesma edição de Anna Karenina em nossas estantes…pequenos detalhes, talvez, mas não era baseado neles que crentes fundavam religiões?” “Eu tenho uma tendência horrível para confessar coisas que não fiz. Sempre tive fantasias sobre me entregar à polícia por algum crime que não cometi.” “Eu não estava mais preocupado em localizar… verdades poéticas em sua sintaxe, o que importava não era tanto o que ela estava dizendo e sim o fato de que ela o estava dizendo – e que eu havia decidido encontrar a perfeição em tudo o que ela pudesse escolher proferir.” “Será que eu estava certo em detectar traços de flerte nos finais de suas frases e nos cantos de seus sorrisos…?” ” Os mais atraentes não são aqueles que nos permitem que os beijemos de imediato (logo nos sentimos desinteressados) ou aqueles que nunca permitem que os beijemos ( logo os esquecemos), mas aqueles que sabem ministrar cuidadosamente diferentes doses de esperança e desespero. ” “Não amaríamos se não nos faltasse alguma coisa, mas nos ofendemos ao descobrir uma lacuna semelhante na outra pessoa.”

Muitos personagens em um só =/

O livro Eu sou o Peregrino do autor inglês Terry Hayes conta em 685 páginas onde cinco episódios se conectam em uma trama de suspense, todos ligados ao personagem principal. A guerra contra as armas biológicas está de volta e os novos “espiões” são contratados para descobrir o criador do vírus e evitar sua distribuição. O personagem principal é uma mistura de estudante de psicologia em Harvard/ agente da polícia/ escritor de livros sobre crimes/ investigador/ e uma isca do FBI com codinome Peregrino. Os capítulos são curtos, mas ele vai e volta na sua vida pra contar a sua versão da sua história, enquanto investiga um crime: uma mulher rica morre num quarto de pensão durante a queda das torres gêmeas. Um filho de um árabe vê o pai morrer, entra pra jihad, torna-se médico sírio e cria um vírus mortal, testando em pessoas reais nas montanhas do Afeganistão. Um americano milionário morre na Turquia. O assassinato na Grécia. E o Peregrino conecta todos os crimes para resolver o caso.

Problemas: o livro é muito longo, poderia ter contado a história em 300 páginas. As descrições biológicas são muito chatas pra quem não gosta da área. Tem o velho profissional do crime que usa o livro dele pra cometer o assassinato do mesmo modo.

Não é um livro que eu vá ler de novo. Ele realmente fecha o círculo, mas não me convence de que precisava tanta mistura pra contar um suspense. Parece que durante a escrita ele pensava “ah, faltou falar de arte…” aí descreve o pai adotivo como artista; “ah!faltou um herói…” aí um dos policiais salvou alguém durante a queda das torres. Essas idas e voltas, ele conta o que vai acontecer lá na frente.

Trechos do Livro: ” …disse que o problema com a guerra é que normalmente ela destrói as próprias coisas pelas quais se está lutando- justiça, decência, humanidade- e não pude deixar de pensar em quantas vezes eu violara os mais caros valores de nossa nação a fim de protegê-los.” “…há tanta gente nessa merda de planeta que isso é tudo que somos: linhas de código em um disco rígido. Apague essas linhas e não existimos mais…”