Lendo a correspondência alheia =D

JACINTOS

A Ilha dos Jacintos Cortados é contada de forma epistolar. Com o subtítulo carta de amor com interpolações mágicas, o autor espanhol Gonzalo Torrente Ballester nos conta em 319 páginas a história fantástica de um professor que tenta ajudar um amigo a provar para a universidade, que sua tese de que Napoleão Bonaparte nunca existiu, é verdadeira. Então ele usa de meios mágicos e fantasia, junto com a namorada do amigo, para visitar essa Ilha mágica e tentar conquistar a moça. Mas depois de conseguir as provas, ela vai embora e ele então escreve essa carta em um diário para que ela veja o quanto ele gosta dela. Durante todo o tempo a história  que acontece na Ilha se confunde com a história no tempo presente entre o professor e a namorada de seu amigo, numa cabana onde estão vivendo.

O estilo do autor me lembra o Gabriel Garcia Marquez e Saramago: texto sem parágrafos, diálogos sem separações no texto, descrições minuciosas dos personagens fantásticos. Trechos do livro: “…e quem come alho, para manter o sangue puro, tem que suportar um hálito incômodo…ao menos  enquanto não se obtenham os alhos inodoros…perdido o mau cheiro, também irão embora outras qualidades.” “Você apareceu pouco depois na porta da cozinha, recuperada para o tempo e para a vida, sem dizer nada…” “…agora me parece tão antiga quanto meu coração, em que ao descer…de uma montanha alemã tive a sensação, ou talvez o sentimento, de penetrar num âmbito sagrado…e me deixava envolvido, possuído, um pouco abalado.” “Napoleão não existiu jamais, foi uma mera invenção técnica para explicar acontecimentos inexplicáveis…”

Uma ótima resenha: Clique Aqui.

Water hyacinth flower in natural water sources

Anúncios

Contos Universais

851795

A Coleção Para Gostar de Ler, nesta edição de 1988, foi uma das minhas séries favoritas quando criança. O volume 11 traz contos de autores famosos e o meu conto favorito foi A História de Keesh, do Jack London. SURPRESA! Só li um livro dele e não gostei, mas o conto é muito bom. Claro que tem Poe com seus suspenses, Maupassant com suas tragédias bem contadas. Recomendadíssimo. Leia a história dessa coleção. =)

Essa coleção da Ed. Atica, teve 47 volumes e vários autores, alguns desenhos e um suplemento de estudos para ajudar a analisar os textos.

Autores Nacionais, sejam bem-vindos! =)

Adoro literatura nacional clássica, contemporânea e quadrinhos! Como não apoiar a Editora Draco? Afinal….eu também gosto de escrever.A Editora Draco publica somente livros nacionais, apoiando os novos autores. Isso é muito importante para os professores adotarem esses livros como base de estudo: redação, interpretação de texto. É muito mais fácil o aluno se identificar com um autor contemporâneo, já que a linguagem dos livros clássicos é muito distante da realidade.

Além da Editora Draco publicar livros de diversos gêneros – da fantasia ao chick-lit, da ficção científica ao romance –, antologias de contos e quadrinhos, tudo exclusivamente nacional. Nós professores – e blogueiros – podemos dar o primeiro passo para que os jovens leitores conheçam e amem a nossa literatura contemporânea e apoiem de coração os autores brasileiros. =)

Para quem como eu começou a ler na infância com toda a Coleção Vaga-Lume, ver os livros da Editora Draco me deixou com saudade! ❤