Filosofia em Quadrinhos

15068187

A HQ Nietzsche conta em 127 páginas de quadrinhos a vida do professor e filósofo Friedrich Nietzsche que morreu em 1900 aos 55 anos, após um período de loucura onde permaneceu internado. Nesse livro ficamos sabendo de sua “rixa” com sua irmã, que após a loucura do irmão e recente aumento nas vendas de seus livros, altera os textos mais imorais e anticristãos e torna-se sua herdeira. Parte de suas idéias niilistas estão nos quadrinhos, mas que não vejo como uma boa introdução à filosofia para adolescentes. Para isso, ainda indico O Mundo de Sofia, do Jostein Gaarder.

Os desenhos são de Maximilien Le Roy que idealizou o projeto e convidou o filósofo Michel Onfray para escrever o texto.

Trechos do livro: “Mesmo durante o sono, as idéias de Schopenhauer dançavam em minha cabeça sem que eu soubesse se ainda estava lendo ou dormindo…” “Seria perfeito! Conversaríamos muito, leríamos um pouco, escreveríamos menos ainda. Acho que era assim que faziam Platão e seus discípulos…” “A senhora sabe, a liberdade é um grande luxo. Quanto menos você possui, menos é possuído!”

 

Anúncios

Um Suspense no Oriente =)

morte-na-mesopotc3a2mia

O livro da famosa autora de mistério Agatha Christie MORTE NA MESOPOTÂMIA, conta em 283 páginas mais um mistério desvendado pelo detetive Poirot, aqui com a ajuda de uma jovem enfermeira, que conta essa história em primeira pessoa. Um grupo de pesquisadores está trabalhando numa escavação e descobrindo objetos raros, enquanto situações estranhas passam a acontecer com a esposa do chefe da equipe. Então ele contrata uma enfermeira para cuidar de sua esposa que está com os nervos à flor da pele. A enfermeira se torna observadora de todas as pessoas que fazem parte da equipe. E quando acontece o crime, Poirot é chamado para investigar e conta com a ajuda da enfermeira para descobrir o assassino.

Trechos do livro: “Essa história trata de seres humanos, não de bonecos! Seja pessoal… seja preconceituosa… seja indelicada… seja tudo o que bem lhe aprouver! Escreva à sua maneira.” “O que lhe fez pensar que habitávamos um mundo singular, em que duas pessoas conseguiam ver a mesma coisa de modos diametralmente opostos. Não me expliquei muito bem, mas você pode adivinhar o que eu quis dizer.” “No fim das contas é melhor não falar mal dos vivos. É bem possível que isso os prejudique. Os mortos não correm esse risco. Mas o mal que eles causaram sobrevive a eles.” “Pra ser sincero, não é recomendável contar a homem nenhum a verdade sobre sua esposa! Por curioso que pareça, eu revelaria à maioria delas a verdade sobre os maridos… as mulheres são realistas fabulosas.”

p466168_b_v8_ar

Guerra, nunca mais :/

524575_347
O livro O Sorriso do Diabo, terceiro livro da série A Bicicleta Azul, da autora francesa Régine Deforges, finaliza em 400 páginas a história de Camille e Léa durante a segunda guerra vivendo em Paris. A jovem Camille neste livro consegue fugir da prisão com a ajuda dos resistentes, mas depois morre segurando seu pequeno filho nos braços. Léa consegue fugir com o garotinho, mas entra em choque ao ver a cena. Continua a gratuidade das cenas sensuais entre Léa e Tavernier, que não acrescenta nada à história. Léa como enfermeira resolve ajudar na Cruz Vermelha com o fim da guerra em Paris, mas continua sem noção e é uma personagem frívola.
As cenas que descrevem os detalhes da guerra são chocantes e de revirar o estômago. Não faz meu tipo de história, mas sempre sobra algo de interessante em cada livro.

Para um público mais young adult

2774775


Uma das graphic novels mais premiadas dos últimos tempos o livro Retalhos é sobre um garoto que vive no meio-oeste americano, numa família super religiosa e se vê questionando algumas idéias sobre religião e pessoas. O autor  Craig Thompson conta que essa é uma história autobiográfica, mas vemos um “texto-visual” muito pesado: bullying, abuso infantil, drogas, roubo. Não acho que essa HQ seja direcionada para o público infantil. O texto fala muito sobre a Bíblia e versículos, mas também fala do primeiro amor e das descobertas da adolescência.

retalhos-craig-thompson-graphic-novel-figura2

 

De livro à Ópera

22096006

O livro Manon Lescaut do autor francês Abade Prevost, conta a deliciosa história publicada em Amsterdã em 1731 – Manon é uma bela moça muito frívola que sempre esquece seu grande amor, no caso nosso personagem principal, para ficar com qualquer um que tenha muito dinheiro para bancar suas vontades. É um romance em que as mulheres se sentem vingadas: um homem apaixonado que vira tapete dessa mulher e aceita todos os erros e desculpas só pra ficar à seu lado ❤ . Essa história foi incompreendido na época e depois se tornou montagem de várias óperas, sendo a montagem de Puccini a mais famosa. Também foi “cantada” por Pavarotti, Placido Domingos e Maria Callas.

Autora proibida,livro sobre a guerra

vontade 1

O livro Vontade de Viver, o segundo da série A Bicicleta Azul, da autora nascida em Viena e publicada na França Regine Deforges, continua a saga da família francesa que resolve ajudar os revoltados com a invasão da Alemanha em Paris na segunda guerra. A personagem ainda continua entregando panfletos e saindo com vários homens e continua a saga das cenas gratuitas de erotismo, já que a autora foi proibida de escrever livros eróticos nesse período. Nesse livro 2 da série, a história começa a melhorar na descrição da autora – há uma pesquisa maior referente aos acontecimentos entre Alemanha e França; ela cita personagens históricos e seus discursos no rádio; ela descreve a ocupação nazista e como viviam os franceses fora dos grandes centros. Mas ainda há mais do mesmo: a personagem principal sem noção, só tem a beleza a seu favor, continua fazendo mais do mesmo e todos os rapazes à seus pés. Ela não amadurece nem depois de sofrer abuso sexual nas mãos de um soldado. O último capítulo deixa uma esperança de dias melhores no próximo e último livro da série.

Trechos do livro: “Que quer minha querida amiga, o homem cria uma felicidade à sua medida, e o mais das vezes o dinheiro é sua pequena medida…”

Slide1

Um Arquivo de Idéias

LIVRO

O livro As Cidades Invisíveis do autor nascido em Cuba Italo Calvino, mas que escreve em italiano, nos conta as conversas que o explorador Marco Polo tinha com o Grande Khan, conquistador de várias cidades. Nessas conversas, Polo descreve cidades imaginárias, cidades fictícias, cidades fantásticas e os capítulos alternam as descrições das cidades e as conversas com o Khan. O livro parece um “arquivo de idéias” de um escritor de livros, que resolveu transformar esse arquivo sobre os cenários em história. Deu super certo para o autor.

Trechos do Livro: “…é um esfacelo sem fim e sem forma, que a sua corrupção é gangrenosa demais para ser remediada pelo nosso cetro, que o triunfo sobre os soberanos adversários nos fez herdeiros de suas prolongadas ruínas. ” “…deveria louvar a carne do faisão dourado que aqui se cozinha na lenha seca da cerejeira. ..” “É uma cidade igual a um sonho: tudo que pode ser imaginado pode ser sonhado, mas mesmo o mais inesperado dos sonhos é um quebra-cabeça que esconde um desejo, ou então o seu oposto, um medo. ” “As duas cidades gêmeas não são iguais, porque nada do que acontece. …é simétrico: para cada face ou gesto, há uma face ou gesto correspondente invertido ponto por ponto no espelho. ” ” Chega um momento da vida em que, entre todas as pessoas que conhecemos, os mortos são mais numerosos que os vivos. ” “…mas quem me ouve retém somente as palavras que deseja. Uma é a descrição do mundo à qual você empresta a sua bondosa atenção. ..”