Ficção Política

20190920_110519-1427293027308797514.jpg

O livro Lágrimas Na Chuva da autora espanhola Rosa Montero, conta em 358 páginas a história de Bruna, uma replicante de combate. A história se passa no futuro de 2109, num mundo utópico, onde todas as diferenças vivem juntas: humanos, alienígenas, bichos, replicantes, tecno-humanos, andróides. Mas têm um grupo que não gosta dessa mistura e gostaria de separar os humanos. Bruna que também é uma detetive e têm amigos de todas as formas, é contratada para investigar umas memórias adulteradas que estão sendo implantadas nos robôs. Essas memórias piratas tornam os andróides assassinos. Os andróides têm tempo de vida limitado e isso incomoda Bruna, que perdeu seu companheiro para o fim da vida útil das máquinas.

A história tem páginas e páginas explicando o que aconteceu com a terra, as leis que criaram, as guerras. A personagem principal, apesar de ser um andróide de combate, é mimada, sem controle, não aceita opinião dos outros, não quer morrer, mas também não se cuida: drogas, álcool, brigas, têm de tudo um pouco na vida dela. Está sempre atrasada para os compromissos.

Não tem um só personagem cativante! Isso faz a história se arrastar um pouco. Me vi torcendo pra personagem principal virar mártir. 😐

Trechos do Livro: “A existência e a integração dos tecno-humanos criaram um intenso debate ético e social que está longe de ser esclarecido…eles deveriam deixar de ser fabricados.” “Como a gestação desses indivíduos é economicamente muito dispendiosa…todo tecno-humano servirá à empresa que o fabricou…” ” Não digo que não existam conspirações; digo que há muito menos do que se imagina, e que na verdade são amadorismo improvisados, e não perfeitas estruturas maquiavélica.” “…associação que engloba todos os seres que querem ser o que não são: mulheres que querem ser homens, homens que querem ser mulheres, humanos que querem ser reps, reps que querem ser humanos…sempre nos parece que nossa realidade é insuficiente.” “Abandonou o emprego, fundou a Igreja do Único Credo e se dedicou a pregar o Culto Labárico…” “…tatuar uma imagem equivocada resultava numa desordem atroz e atraía uma infinidade de desgraças; aplicar a figura precisa, pelo contrário, acalmava e protegia o indivíduo…” “A tristeza era um verdadeiro luxo emocional…Quando a dor que se sente é tão aguda que se receia não poder suportá-la, não há tristeza, e sim desespero, loucura,fúria. “

Anúncios

Sobre livros e escrita

20190913_082048-17609584844880189310.jpg

O livro A Décima Terceira História da autora inglesa Diane Setterfield, conta em 431 páginas a história de Margaret, que vive e trabalha na livraria do pai. Ela escreveu um ensaio sobre a vida de irmãos gêmeos que figurava entre boas edições acadêmicas, ficando conhecida por escrever biografias póstumas. Ela e o pai são muito amigos, mas a mãe entrou em depressão após o nascimento das filhas gêmeas. Só Margaret sobreviveu.

Então ela recebe uma carta de uma grande escritora, que está muito idosa e quer que ela seja sua biógrafa. Seu pai a convence de ir morar na mansão da autora, em uma pequena cidade do interior. Ela não se dá bem com a pessoa no começo, mas depois resolve ficar e escrever: desde que possa checar todas as informações que ela passar.

O livro segue com alguns clichês: ela só aceita porquê a autora também é gêmea. Ela é cercada de mistérios, que na verdade não existem. Ela não só faz pesquisa, como se torna uma “detetive” pra ajudar um senhor que a assustou, quando visitou as ruínas da mansão. Ela recrimina o jeito arrogante da autora, mas não fala com a própria mãe.

O final fecha direitinho o círculo de suspense, mas me pareceu que ela criou um outro personagem pra ajudar na finalização e causar algumas surpresas no leitor.

Trechos do Livro:”…ler é, de certa forma, cuidar…eu gosto dos meus livros mesmo que, muitas vezes, eles sejam tão desinteressantes por dentro quanto o são por fora.” “Desde a sua chegada, ela parece estar um pouco melhor. Diz que são as propriedades anestésicas de contar histórias.”

Sobre ter Medo, mas não é terror.

O livro do autor austríaco Stefan Zweig Medo e outras novelas, contém 6 novelas em 254 páginas. As histórias contam sobre o medo que sentimos: medo de contar a verdade, medo de ficar sozinho, medo de não ser especial, medo do futuro. A primeira novela que dá nome ao livro fala de uma esposa que acha que o marido está prestes a descobrir sua traição e por ter tanto medo, acaba adoecendo. Todas tratam de algum medo que o personagem tem, mas não conversa sobre ele. Todas as histórias se passam em períodos em que as pessoas não se abriam sobre seus medos.

Trechos do Livro: “…ela erguia o olhar para sentir-se abrigada…e uma leve tranquilidade retornava.” “…não era mau, no fundo até jovial como todos os irresponsáveis…”

Romance Histórico

O livro Miniaturista da autora inglesa Jessie Burton, conta em 351 páginas a história de uma adolescente no interior da Holanda, vê sua mãe viúva dá-la em casamento à um rico comerciante da cidade. A história se passa em 1686, quando a igreja ditava os costumes e as mulheres não ficavam com a herança de seus pais. Ao se casar, Nella tem uma idéia romântica do casamento, mas ao chegar na imensa casa, ela conhece a cunhada e senhora da casa, dois criados cheios de intimidades e um marido que não frequenta seu quarto. Então ele a presenteia com uma linda casa de bonecas e diz que é pra ela passar o tempo. Entre brigas de seu marido com a população e também com a irmã, Nella encontra uma placa de um miniaturista e contrata mobília para a casa. A pessoa envia para ela não só a encomenda, mas vários bonecos simbolizando as pessoas e cachorros da casa.

As últimas páginas tem explicações das palavras em holandês e até a foto da casa de boneca pertencente à verdadeira Nella.

⚠️Spoiler Alert!

O título em português não tem o artigo, então já achei que fosse uma mulher. A miniaturista também é uma vidente que mostra às pessoas coisas que vão acontecer. Mas ela não encontra a mulher apesar da busca e essa parte fica sem um final relevante. Mais uma vez, o título enganando. A história não é sobre miniaturas nem quem as faz, por isso essa parte nem é tão trabalhada no livro.

Johannes o marido é um sodomita, que se envolve com rapazes e por isso é condenado ao crime de sodomia. Mas a família sabe e o apoia. Ele tem um criado negro, que as pessoas olham assustadas.

O livro daria um bom filme de suspense. 😉

Suspense e mistério é possível!

O livro Vertigo dos autores Boileau-Narcejac foi levado às telas do cinema por Alfred Hitchcock em ….. Esta edição em capa dura da Editora Vestígio tem o subtítulo Um corpo que Cai, nome dado ao filme no Brasil. A história se passa durante a guerra: um advogado pobre é contratado por seu amigo rico pra seguir e vigiar sua esposa que anda muito esquisita. Ele começa a segui-la e a salva de um possível afogamento. Então ele se apaixona. Durante todo o tempo ele tenta reprimir a paixão mas continua saindo com ela. Até que ele acha que pode salvá-la da loucura. Mas ela se suicida na frente dele.

A segunda parte do livro se passa cinco anos depois, quando ele volta à Paris e descobre que seu amigo já faleceu e no período de investigação quase foi preso suspeito de matar a esposa. Novamente ele se culpa por não ter contado sobre sua paixão.

O final é surpreendente. 🙀

Trechos do livro:” …deixou que ela se afastasse um pouco. Chegou a pensar em voltar para casa. Mas o fato é que segui-la lhe dava uma sensação de embriaguez…” “…ela exercia sobre ele uma estranha influência; absorvia, literalmente, todas as suas forças; ele representava, junto a ela,…de certo modo, de doador de alma.” “… o segredo da sua indiferença. Ela tinha saído da vida sem nenhuma hesitação; caiu na terra, de cabeça, braços abertos, como para melhor possuí-la, afundar-se inteira nela. Não estava fugindo. Estava voltando para alguma coisa.”

Filósofo, Cientista e Monge Excomungado

O livro Profecia da autora S. J. Parris é o segundo da série que pode ser lida separadamente, conta em 319 páginas a história de Bruno, um monge italiano excomungado. Contada em primeira pessoa, em 1583 está acontecendo várias tramas entre Inglaterra e Escócia para ver quem vai ficar com o trono. A França e a Espanha oferecem seus acordos. Mas uma das tramas pode dar errada quando uma das dama de companhia da rainha Elizabeth aparece morta de forma misteriosa. Esse escritor e filósofo é chamado para ajudar a descobrir o assassino. Então ele se infiltra no grupo da rainha Mary. Ele passa por vários problemas até ele mesmo se questionar porquê ele faz tudo errado: acredita em todo mundo, sabe que tá sendo vigiado mas continua fazendo papel duplo, sabe que a mulher do Embaixador está tramando, mas quase se envolve com ela.

Só nas cinquenta páginas finais o complô é descoberto mas nem todos são acusados e presos.

Trechos do livro: “Por um instante, reflito sobre o caminho estabelecido para as jovens nascidas na nobreza: quão brevemente lhes é permitido brilhar, serem exibidas e admiradas em público em seu próprio meio social, só o tempo exato que levam para encontrar um marido adequado.” “Conheci filósofos em Paris. Eram homens tranquilos, de barbas cheias de poeira, que se dedicavam exclusivamente à seus livros. Não entravam pelas janelas de madrugada cobertos de sangue e excremento.”

Encontre sua Voz

O livro O Silêncio Das Águas da autora americana Brittainy C. Cherry conta em 363 páginas a história de Maggie May dos dez anos até a vida adulta. Aos dez anos Maggie é apaixonada por Brooks e quer se casar com ele. Ela vive com seu pai, sua madrasta e dois meio-irmãos. Ela passa por um trauma e fica sem voz, então usa um quadro pra escrever e se comunicar. Também nao consegue sair de casa: tem um ataque de pânico toda a vez que tenta. Todos tentam protegê-la do lado de fora, mesmo sem saber o que aconteceu que a fez ficar assim. Então ela estuda em casa, vê seu amigo da infância se apaixonar por outras garotas. Nada faz ela mudar ou tentar mudar p comportamento. Ela vê seus pais e sua irmã brigarem por causa de seu comportamento. Até que acontece uma tragédia na vida de seu amor/amigo pra que ela saia do casulo. E precisa da voz da bibliotecária dizendo pra não deixar ele tratar mal, pra ela começar a gritar. Cada capítulo é alternadamente a voz de Maggie e de Brooks.

Faltou algumas coisas pra dar 5 estrelas pra esse livro:

⚠️1. Porque ela deixa as pessoas pensarem mal dela, até seu pai tão amigo, mas não escreve o que aconteceu? Egoísmo. “Quero me afundar no meu problema ”

⚠️2. Quando o namorado da irmã grita, ela é a primeira a não aceitar. Mas quando o Brooks passa dias gritando com ela, ela deixa.

⚠️3.Brooks era o melhor personagem, super cabeça, e não foi a tragédia ou perder os dedos que transformou ele num babaca: foram as fofoquinhas da internet. Ah, me poupe!

⚠️4. Ela ouve as desculpas do filho do assassino e diz que ele não tem culpa. MAS ELA TÊM. Ela deveria pedir desculpas a ele por ter deixado ele pensar mal da mãe; pedir desculpas à família por não ter contado antes.

⚠️ 5. A Sra Boone é a melbor pessoa, que não tem tempo pra mimimi. Mesmo tendo passado por uma tragédia.

Trechos do Livro: “Uma pessoa nunca relê um livro excepcional e segue em frente com as mesmas crenças. Ele sempre surpreende e desperta novas idéias, novas formas de olhar o mundo…” “…me inscrevi em diversas faculdades que ofereciam mestrado à distância, mas não fui aceita em nenhuma. Meu currículo maravilhoso provavelmente não valia muita coisa, considerando que fiz poucacoisa na vida. ” “…o artista havia se esgueirado pela minha mente…em algum lugar no mundo, alguém estava se sentindo exatamente como eu.”