Finalizando 2017

girl-with-book-clipart-public-domain-2

Este foi um ano muito produtivo para os meus projetos!! Terminei minha pós-graduação em Projetos Educacionais: veja Aqui. =)  Consegui iniciar um novo projeto de leitura, que não vai terminar agora, mas foi muito bom começar: Projeto Check-List.  Consegui recuperar os direitos do meu livro infanto-juvenil e lancei lá na Amazon. Também quero incrementar e continar com o projeto de escrita compartilhada. E também continuar na mesma vibe de leitura: ler o que me cair às mãos, ler outros países, ler escritores iniciantes, ler mais nacionais. Em agosto meu projeto foi participar do Desafio TED -Tips Every Day, que foi superdifícil postar todos os dias, mas me deu orgulho de conseguir!

Li ao todo 62 livros, sendo 12 de autores nacionais. Li seis livros ilustrados, e quatro adaptações. Li apenas um em inglês. 3 deles foram releituras. O maior livro lido foi O Pintassilgo da Donna Tartt com 719 páginas e o menor foi uma adaptação de um texto de Machado de Assis, A Mão e a Luva com 58 páginas. Li 4 livros de contos. O livro mais esquisito foi Anardeus do Walter Tierno. Desisti de muitos livros pela metade até! Li todo, mas considero o mais chato O Samurai de Shusaku Endo. O mais difícil e demorado de ler foi O Pêndulo de Focault do Umberto Eco. Difícil escolher o melhor, mas Anne de Green Gables vai ficar no meu coração! ♥♥

livros-e-eu

Anúncios

TAG CEIA DE NATAL =)

natal-em-famc3adlia

Eu vi essa Tag no canal da Karina, Kabook Tv. Esses  são os ítens da ceia:

1) Peru de NatalUm livro que você está louco para ler: Hibisco Roxo da Chimamanda Ngozi Adichie. Quero ler mais livros dela.

2) “É pavê ou pra comê?”Um livro que você achava que não fosse gostar, mas que te surpreendeu: Comer, Rezar e Amar da Elizabeth Gilberth. Achei que fosse um romancezinho e é mais um livro sobre se encontrar nas viagens da vida.

3) Uva passaUm livro que a maioria não gostou… só você. Como eu adoooro passas, eu inverti a resposta: Senhora, de José de Alencar.

4) PanetoneUm livro que você enrolou o ano todo pra ler mas que finalmente encarou: O Evangelho Segundo Jesus Cristo do Saramago. Eu pedi emprestado no começo do ano e agora estou finalizando.

5) Mesa de frutasUm livro que todo mundo conhece, mas que você não viu muita gente ler: os autores clássicos nacionais. Parece coisa de obrigação da escola, e então só vejo jovens lendo por obrigação.

6) Amigo SecretoUm livro desejado que você adoraria ganhar de presente: Os Irmãos Karamazov =)

De onde viemos…de verdade? :/

origem

“A ORIGINALIDADE CONSISTE EM VOLTAR ÀS ORIGENS.” Antoni Gaudi

O livro Origem de Dan Brown, é uma volta aos suspenses de conspiração religiosa, como ele se tornou mais conhecido em outras partes do mundo. A capa do livro (Michael J. Windsor) remete à  várias citações : um olho, muito citado no livro, uma escada espiral, a cor azul internacional Klein (evoca imaterialidade e ilimitabilidade), a espiral de Arquimedes, a sequência de Finabonacci, a abertura do órgão feminino, o símbolo arroba (@).

Esse livro conta a história de um ateu que resolve provar de onde a vida se originou, usando a mistura de ciência e tecnologia. E para isso ele usa a intenet pra espalhar notícias, falsas e verdadeiras e tornar o evento de falar sobre suas descobertas, um show de tecnologia.

A pesquisa de Dan Brown sobre os diversos assuntos tratados no livro é, no mínimo, curiosa. Ele fala de religião, mais profundamente sobre uma vertente da católica. Ele fala muito sobre Arte, talvez por ser casado com uma artista. Ele fala muito sobre pesquisas científicas, alienígenas e sobre tecnologia e William Blake. Consegue misturar isso tudo num esquema de gato-e-rato dos personagens principais -o famoso Professor Langdon e sua parceira uma jornalista- com a família real espanhola!!!!

Parece um roteiro de filme de aventura e acho que vai funcionar muito bem para um cinema. O texto é todo sobre uma revelação, religiosos querendo esconder essa revelação, e não há um verdadeiro motivo pra isso, então o autor decide mudar o final -como uma opção alternativa- e todas as teorias do possível motivo, não acontecem e um personagem até diz algo como ” fiz tanto pra que o comunicado oficial dele não viesse à tona, e ele mudou o comunicado.”

Trechos do Livro: “…ciência e religião não competem, são duas linguagens diferentes tentando contar a mesma história.” “…parecia algo saído de uma alucinação alienígena: uma colagem rodopiante de formas metálicas retorcidas…massa caótica era coberta por mais de 30 mil placas de titânio que brilhavam como escamas de peixe…”

“…apesar de todos os esforços do seu Vaticano para silenciar homens como Galileu, a ciência dele acabou prevalecendo.” “Michelângelo é o padrão de ouro concebendo o Davi brilhantemente num contraponto efeminado , o pulso frouxo segurando uma funda flácida, revelando uma vulnerabilidade feminina…A obra é ao mesmo tempo delicada e mortífera.”

atalho pans

“…um mundo cujas leis físicas tornam as coisas aleatórias , e não organizadas…devo admitir que a existência da vida é o único misterio científico que já me levou a pensar  na idéia de um criador.” “Percebi que nosso planeta estava sendo habitado por uma coisa muito maior…rotulada como um reino inteiramente novo.”

deborah jäger

origem

Arte-Educação

navio20171005_01_lasar-segall

O livro Navio das Cores tem em 55 páginas a história da vida do pintor Lasar Segall contada pelo escritor Moacyr Scliar. O Personagem quando criança veio com os pais judeus, da Russia para o Brasil. O pintor na realidade veio depois de adulto, mas não tira o que a história quer mostrar: o Brasil sempre foi um país acessível aos imigrantes e eles conseguem se sentir em casa aqui. O menino da história é um pintor e através da história dele, feita de gravuras e reproduções das obras do verdadeiro pintor, conhecemos o modernismo e o surrealismo. Nas últimas páginas, informações sobre o autor da história e sobre o autor das obras.

O Escasso Tempo de Leitura

Para quem diz “não leio porque não tenho tempo” existem ótimos textos condensados dos livros clássicos. E valem a pena, porque vêm com texto de apoio e se gostar, pode procurar o texto original. E também vai poder conversar sobre livros, ter sua opinião e não apenas ler resenhas.

Texto da primeira fase do escritor Machado de Assis, A Mão e a Luva condensado em 58 páginas conta a história de três homens interessados numa jovem dama nos anos de 1874. Cada um corteja a dama à sua maneira, mas ela escolhe quem lhe cabe melhor, assim como uma luva veste perfeitamente a mão para qual foi feita. O vocabulário foi mantido com a ajuda de notas de rodapé. Algumas dessas palavras minha avó usava com outros significados :/  , por exemplo “abicar à riba” usado como chegar perto e no livro é traduzido como “realizar“.

Trecho do livro: “Mas, ao voltar para casa viu uma criança brincando no charco da sarjeta, e a inveja da morte foi substituída pela inveja da inocência, e por sua vez substituída pela inveja da  felicidade, quando ao recolher-se viu as janelas abertas de uma casa vizinha, a sala iluminada, uma noiva coroada e flores de laranjeira, a sorrir  para o noivo.”

A fofoca =D

chon

O livro O Casamento de Chon Recalde do autor Gonzalo Torrente Ballester, conta em 174 páginas uma história que gira em torno de um bilhete fazendo uma fofoca a respeito da honra de uma moça que ía se casar. Ela não se casa até o final, então se a história gira em torno do bilhete e da reação das pessoas ao lê-lo, não entendi o título, já que a moça nem se casa. =/

É meu segundo contato com o autor espanhol e gosto da escrita dele. Não me senti lendo o mesmo livro. Acho que ele consegue contar histórias comum de forma a envolver o leitor, já que passeia entre a guerra, os romances, a política, as idéias retrógradas a respeito de cada assunto.

Vale a leitura. Trechos do livro: “Nesta cidade não chega a ser uma boa coisa essa história de pensar; aqui a gente recebe o pensamento já todo pronto e então escolhe: ou fica na linha ou pula para o outro lado…” “…que sejam felizes ou de que vivam tranquilos? – Que diferença faz?-A felicidade é mais perigosa. É baseada no mútuo desconhecimento.”