ESCRITA COMPARTILHADA

ESCRITA COMPARTILHADA

Post #1

Post #2

Post #3

Post#4

Post #5

Post #6

Post #7

Vamos falar de redação criativa?  Para escrever seus próprios textos a dica é única: comece a escrever! =D       Gosto de testar vários métodos, vários aplicativos, ver como as outras pessoas estão escrevendo. O que funciona pra mim, pode não funcionar pra você. E até mesmo o método que você aprendeu pra escrever uma redação no ENEM ou Vestibular, pode não servir pra escrever um livro. Então… vamos por partes! =)

1- ORGANIZE UM TEMPO PRA ESCREVER  –    Existe uma máxima que diz: “faça uma mesma coisa por 21 dias e isso se tornará um hábito.” Então faça uma planilha – você encontra várias prontas na web – e escreva todos os dias.

2-O QUE ESCREVER     –   “comece escrevendo”. Parece simples, mas em frente a uma blank page acontece que não sai nada! Existem vários desafios de escrita na web. Escolha um “desafio dos trinta dias’ e escreva de acordo com as idéias apresentadas. Por exemplo: -escreva o tema de uma canção para a personagem principal. -Faça uma cena em que o personagem descobre que ama duas pessoas ao mesmo tempo. – crie um diálogo do personagem com o espelho.

3-COMO ESCREVER    –       Use qualquer editor de texto que você goste: Word, BrOffice, Wordpad, ou mesmo um caderno. Existem aplicativos próprios pra organizar seus textos: alguns bem simples, apenas para focar na escrita como o Writer; o Evernote pra organizar as pesquisas; o Scrivener que mostra uma interface de e-book.

4-COMO ORGANIZAR  OS TEXTOS   –      Se você não vai usar nenhum aplicativo, crie pastas: desafios de escrita, livro 1, romance, contos. Crie pastas para personagens, cenários, idéias, imagens.

5-TRUQUES     –      considere as seguintes etapas: título previsto, personagens previstos, Onde, Quando, Quem, O que. Isto é, onde se passa a história: ” Em um lugar distante, numa cidade chamada X, em que existia apenas o verão.” Use sua pasta cenários para ajudar nas descrições. Em Quando, descreva o período em que se passa a história -é uma história contemporânea? O que os jornais dessa época informavam? Use sua pasta pesquisa para descrever essa parte. Quem, escolha os personagens principais e secundários, dê-lhe características físicas e psicológicas, mesmo que isso não conste no texto final. Te ajuda a criar os diálogos dos personagens. Em O quê, descreva os acontecimentos na ordem em que acontece, o ápice e a finalização prevista. O tamanho da história não importa.

6-CONHEÇA OS MÉTODOS TESTADOS   –      Tem muito blogueiro falando mal de métodos de escrita e cursos de escrita criativa, porque nunca viram um escritor de sucesso dizer que usa ou fez. Mas esses métodos são exatamente pra quem quer testar e quem sabe conseguir escolher um que funcione. Eu testei o método snowflake, criado por  Randy Ingermanson.

koch-snowflake

Quer um exemplo? Essa figura mostra como a narrativa pode ser escrita por este método. Descreva em linhas gerais sua idéia :  “Um homem está perdendo clientes em sua loja, encontra uma cigana que diz o que deve ser feito, ele paga com sua família o preço de sua ambição.” *          

     fig 1             

  O segundo floco de neve cai sobre o primeiro, fazendo a história se expandir em outra direção. Vamos ver: ” o homem conversa com sua esposa em sua bonita casa na hora do jantar e diz que os negócios vão mal. Ela diz que a bebê acabou de nascer e que eles precisam de dinheiro, que podem pedir à família dela. Ele se nega e diz que vai dar um jeito. Ao sair para fumar, vê um circo nas proximidades, vai caminhando e vê uma cigana. -Posso ler sua mão, senhor? Ela diz que pode ajudá-lo a resolver o problema da fábrica. Ele diz que faria qualquer coisa para ficar rico. Ela  lhe dá uma boneca.”*

fig 2

O terceiro, quarto e quinto flocos, são histórias que podem ser paralelas à história principal. Pode ser a esposa falando com a mãe ou a amiga. Pode ser o homem falando com o banco ou com os funcionários. Pode ser o homem falando consigo mesmo sobre suas idéias de como as coisas estão melhorando. ” Ele procura a cigana novamente e diz que as coisas estão muito lentas e que podia melhorar. A cigana diz: coloque a boneca no berço da sua filha.” *

fig 3

Cada floco – ou parte da narrativa – vai crescendo separadamente e ao mesmo tempo fazendo parte da história. é como se o leitor fosse dar um passeio em outras partes da história. como diz Tatiana Feltrin “…vamos ali ver o que está acontecendo com fulano.” =D  Para que o floco de neve fique completo, você tem que ter a idéia da finalização da história. No caso desse conto, quero que seja um suspense: será que ele vai obedecer a cigana? Será que sua esposa vai compartilhar da idéia? Como será que ele vai “pagar” pela ajuda?

fig 4

Agora que a história está com começo meio e fim, você vai pra outra fase. Criar uma pequena história para cada personagem – seu nome, o que ele busca na vida, o porquê de sua meta, o conflito, o que ele aprende com a sua busca. Exemplo: ” O Senhor P… começou como operário na fábrica, casou com a filha do patrão e tenta mostrar que pode sustentar sua família. Tem orgulho de ter começado do nada. Não aceita que a crise no país ( anos 20) possa fazê-lo perder tudo aos 40 anos. Ele decide fazer qualquer coisa, para dar a volta por cima, mesmo que seja ilegal.” *

snowflake-method

A natureza não cria um floco de neve igual ao outro. Então você pode criar sua narrativa de várias formas. Agora está na fase de expandir seus textos com diálogos. Leia em voz alta, para ver se faz sentido.

Toda sexta vou postar uma parte da história expandida. Estou encaixando a escrita nos meus horários, porque quanto mais se escreve, mais idéias surgem. 😉

RE-UhzFW

 

*copyright by Deborah Jäger

Anúncios

História paralela que vale a pena :/

História de ficção envolvendo religião, política e romance, se passa em 1230, onde o sequestro dos restos mortais de Francisco e a ocultação do ato, pode revelar que a fé não está baseada na verdade, mas em fatos criados pela alta cúpula da igreja. Escrito por John Sack, com 440 páginas, o romance detalha muito das regras e livros religiosos, citados em latim, o que faz com que a história se arraste. O outro núcleo da história, muito mais interessante envolve uma mocinha com desejo de vingança do bispo, culpado de fazê-la perder sua família, suas terras, sua inocência, sua infância. Depois que se apaixona, fica boba como qualquer mocinha apaixonada, mas é o que vale na história, sem consistência no motivo de tanto mistério. Quer resenha? Clique Aqui.

Trechos do livro:”…comecei…com as sete habilidades intelectuais que são condições prévias para o estudo da teologia: o trivium – gramática, retórica e dialética – e o quadrivium – música, aritmética, geometria e astronomia.”

 

O Livro indicado por um livro

Quando li o livro A Lenda de Murasaki, a autora disse que este livro e filme foram baseados em seus escritos. Estou falando de Memórias de Uma Gueixa, de Arthur Golden, com 457 páginas. Nos agradecimentos o autor cita Liza Dalby.  Esse livro não teve muito boa-fama durante um tempo entre os webnautas, porque custava menos do que qualquer outro, só vivia em promoção, as páginas são brancas, as letras miúdas, é apenas a forma compacta da primeira versão de 850 páginas…. mas eu gostei! =D e muito do desenrolar da história. Tem todos os caminhos da história: a criança acredita, cresce, vê que foi burra, é traída, se vê em apuros, encontra pessoas que a ajudam e tudo acaba bem, ou quase. É muito clichê? Não porque é uma linguagem diferente quando se fala de um país muito diferente do que estamos acostumados: a história se passa no Japão, onde as crianças pobres são vendidas para se tornarem Gueixas – mulheres que são treinadas apenas para entreter os homens. E as memórias de uma gueixa famosa, são o pano de fundo pra falar da beleza da mulher japonesa, dos mistérios que envolvem as gueixas e do terror da segunda guerra. Quer resenha? Clique Aqui. Também foi lançado um filme magnífico que ganhou 3 Oscars, o prêmio do cinema.

Trechos do livro: “Nunca procuro derrotar o homem a quem estou combatendo…procuro derrotar sua confiança. Uma mente perturbada pela dúvida não pode se concentrar no curso da vitória. Dois homens são iguais – de verdade – só quando ambos tem igual confiança.”

Teoria e Prática da Leitura

pedagogia-en-livros-universitarios-13786-MLB2738990690_052012-Y

O livro Discurso Literário: seu espaço da autora Diva Vasconcellos da Rocha, com 144 páginas, mostra as formas de analisar um texto com base em conceitos teóricos. “No fundo da prática científica, existe um discurso que diz: “nem tudo é verdadeiro; mas em todo lugar e a todo momento existe uma verdade a ser dita e a ser vista, uma verdade talvez adormecida, mas que no entanto está somente à espera de nosso olhar para aparecer, à espera de nossa mão para ser desvelada. A nós, cabe achar a boa perspectiva, o ângulo correto, os instrumentos necessários, pois de qualquer maneira ela está presente aqui e em todo lugar.”                                                                                                                                                          Vemos que toda leitura terá diferentes interpretações, porque isso envolve a bagagem literária do leitor, envolve a carga emocional diante daquele texto, envolve as experiências visuais e auditivas. O contador de histórias faz exatamente isso com sua platéia infantil, para transformar a teoria da leitura em prática: ele mostra figuras e objetos, imita os sons narrados no texto. Faz com que a história “crie” vida.

A parte final do livro nos brinda com dois contos: Adamastor da Nelida Pinon; O Crime do Professor de Matemática da Clarice Lispector.

contos3

Leitura Compartilhada – Final

 

Então chegamos ao final do Projeto Leitura Compartilhada, que consegui finalizar em aproximadamente dez semanas, com os 7 livros da trilogia Jean-Christophe do autor Romain Rolland. Este último volume encerra a história-biografia com 656 páginas. O último livro chamado O Novo Dia, JC já tem seu nome e sua música reconhecidos na Alemanha sua terra natal, em Paris onde vive e na Italia para  onde sempre viaja e onde mora seu grande amor da juventude, Grazia. Amor platônico por parte dele e amor de amiga por parte dela. Reencontra George o filho de seu falecido amigo e resolve cuidar dele, mas não se sai bem em sua missão. Viaja de novo para sua terra, reencontra seus amigos, assiste o casamento de seu “afilhado” George com a filha de sua paixão Grazia. Faz as pazes com Lévy-Coeur. E começa a definhar ao saber da morte de Grazia. Sente que todos que amou algum dia, estão em algum outro lado e que quer estar lá. Em seus últimos instantes de vida, começa a ouvir uma sinfonia, em que todos os instrumentos chegam à perfeição, e rodeado de seus amigos, vai encontrar seus amores. Trechos do livro: “…belos tipos italianos…que amavam com ternura a natureza, os velhos pintores, as flores, as mulheres, os livros, a boa mesa, a pátria, a música…Amavam tudo. Não davam preferência à nada.” “Não lê nada. Nesse mundo não se lê mais. Unicamente a música achou misericórdia. Aproveitou mesmo com a derrota da literatura. Quando essa gente se acha estafada, a música é para ela banho turco, vapor morno, massagem, narguilé. Não faz pensar: é uma transição entre o esporte e o amor.”

O livro conta com uma Bibliografia de Jean Christophe e uma Cronologia do autor Romain Rolland. Valeu a pena cada semana de leitura. Recomendadíssimo. Foram meus livros mais marcados com post-it. =D  Quer resenha? Clique Aqui.

20160306_073108[1]