Experiências Familiares

O livro A Mulher Do Deus Da Cozinha da autora sino-americana Amy Tan conta em 457 páginas a história de uma imigrante chinesa. Ela resolve contar para sua filha todos os horrores da guerra, do casamento arranjado, do sofrimento da perda dos filhos, do mundo machista. A mensagem final é que o amor aparece onde menos se espera e que vale a pena. O título vem de uma história contada por ela, entre tantas histórias que ela conta para a filha. A capa mostra o desenho de uma padaria que não aparece na história: capa fake.

Trechos do livro: “…me deixa maluca ficar escutando suas várias hipóteses, o modo como a religião, a medicina e a superstição se fundem todas com suas próprias crenças.” “Foi criada numa família feudal, à maneira tradicional. Os olhos da menina não deviam nunca ser usados para ler, só para costurar. Os ouvidos da menina não deviam nunca ser usados para escutar ideias, só ordens.” “…sabia que tudo precisa ter um bom aspecto, um bom sabor, significar boas coisas. Desse modo dura mais, satisfaz o apetite, agradando também à memória por muito tempo…” ” Ele sempre chamava a isso de hobby…porque não havia palavra chinesa para designar uma atividade destinada só a passar o tempo, gastar dinheiro.” “Se uma coisa é ruim, ela faz com que pareça boa. Se é boa…ela contradiz tudo o que eu digo. Faz com que eu pareça estar sempre errada.” ” Isso me lembra a ocasião…quando…me perguntou no dia do meu aniversário qual a galinha do quintal que eu mais gostava. Escolhi aquela que vinha comer na minha mão. E naquela noite a Tia Velha botou-a na panela.”

Anúncios