Um Livro que Cumpre Todos os Desafios Literários! =D

Umberto-Eco-La-misteriosa-fiamma-della-Regina-Loana-Ed.-Bompiani-2004

O livro A Misteriosa Chama da Rainha Loana, do escritor italiano Umberto Eco, com 447 páginas, consegue cumprir vários, se não todos os desafios literários. O que pode ser encontrado nele?

  1. Livro com figuras
  2. História em quadrinhos
  3. Poesia
  4. Música
  5. Romance Ilustrado
  6. Jornal
  7. Guerra
  8. Política
  9. Religião
  10. História
  11. Filosofia
  12. Cinema
  13. Coleção de Selos

O autor conta a história de um livreiro que perde a memória e após voltar do coma, com a ajuda da família, retorna à casa de sua infância para tentar recuperar os acontecimentos através da biblioteca de jornais, livros e revistas de seu avô. Contada em primeira pessoa por um desmemoriado (narrador não-confiável), que consegue se lembrar de vários textos decorados de seus autores favoritos, mas não consegue se lembrar de sua família e seus amigos. O autor mostra que novamente ele usou uma extensa pesquisa sobre Acervos do período da segunda guerra. Tem uma comparação do esquecimento com a névoa que é citada em vários autores clássicos, como um mistério a ser desvendado. Tem piada machista, racismo, ironia sobre religiões, ironias sobre a guerra. O título do livro veio de uma Hq que ele compara a chama aos impulsos elétricos  da memória.

Trechos do Livro: “Você lembra de idéias e hábitos, mas não de sensações, que no entanto são as coisas mais suas.” “Desculpe. Não consigo dizer nada que me venha do coração. Não tenho sentimentos, só ditos memoráveis.” “…prateleiras cheias de livros… Pela primeira vez tinha a impressão de estar num lugar onde me sentia à vontade.” “…as citações são meu único farol na neblina.” “…você tem uma memória de papel. Não de neurônios, de páginas.” “…um psicólogo lhe contou que em toda sua carreira nunca encontrara uma criança neurotizada por um filme (mortos-vivos), exceto uma vez…irremediavelmente…fora arruinada por Branca de Neve” “Não me espanto com o que aprendo, que só confirma o que compreendi sozinho. Mas o pensamento de que alguém me surpreenda enquanto leio, e perceba que percebi…” “Sonhamos falsas lembranças. Por exemplo, lembro que sonhei mais de uma vez que finalmente voltava a uma casa que não visitava há muito tempo…percebia que a lembrança pertencia ao sonho…nos sonhos nos apossamos das recordações de outros.

“Mas aonde vais bela da bicicleta

tão depressa pedalando com fervor

tuas pernas esbeltas, torneadas, lindas

em mim já semearam

no coração esse ardor.

Mas onde vais c’os cabelos ao vento

o coração contente e o sorriso

encantador…

Se quiseres, e quando quiseres,

chegaremos ao limite do amor.”

Anúncios

Leitura difícil… :/

Eu já havia iniciado esse livro algumas vezes; aproveitei o feriado para dar um fim nessa leitura difícil – o livro O Pêndulo de Focault do autor Umberto Eco com 613 páginas de texto com letras minúsculas e poucos diálogos, muitas descrições, textos em outros idiomas, explicações físicas e matemáticas, filosóficas, mística.

Tres amigos que trabalham numa editora de livros místicos, resolvem criar seus próprios mistérios a respeito de um certo mapa dos Templários. E algumas pessoas acreditam ser verdadeiro o que coloca a vida dos tres amigos em perigo. Ele me lembra a filosofia de “O Mundo de Sofia” quando fala de cada uma das religiões e seus pontos positivos e negativos. Nada é tão bom que não carregue uma maldade e nada é mal o tempo todo, que não faça alguém se sentir bem.

Os dez capítulos tem nomes em hebraico, para explicar cada início tem um texto ou em hebraico ou em latim de um outro livro. O texto mistura personagens reais e fictícios. A trama começa empolgante, depois você esquece – o quê todos estão procurando mesmo?

Trechos do livro: “…é inútil escrever quando não se tem uma poderosa motivação, é melhor reescrever os livros dos outros – como faz um bom redator editorial…” “Não é que o incrédulo não deva acreditar em nada. Não crê é em tudo. Crê numa coisa de cada vez, e numa segunda apenas se essa de certa maneira descende da primeira.” “…estamos projetando uma reforma do saber. Uma Faculdade da Irrelevância Comparada, onde se estudam matérias inúteis ou impossíveis. A faculdade tende a reproduzir estudiosos em grau de aumentar ao infinito o número de matérias irrelevantes.”

Pra lê e gosta de Dan Brown, é bom conhecer de onde ele tira suas idéias. 🙂

Quer resenha? Clique Aqui.

foucault_pendulum_animated

Hi$tóRi@ CONCEITUAL =)

ocemitc3a9riodepraga

O que acontece quando você gosta de um autor? Quero ler todos os livros dele!  E quais são suas expectativas quando dois livros são bons? Que o terceiro me surpreenda! E quando a premissa é fantástica? Qual é a pegadinha? Porque essas três qualidades fazem o livro perfeito!!  O que esperar de Umberto Eco – autor que gosto – no livro de 2010, O Cemitério de Praga, com 478 páginas, que se passa em no séc XIX – meu favorito – personagens históricos reais!  Não me surpreendeu, não me decepcionou.  Teve alguns momentos instigantes, de ficar acordada lendo, alguns momentos maçantes, gzuuiss! , momentos que me parecia um outro escritor… mas valeu a pena.

O livro é conceitual: para diferenciar os três personagens que “contam” a história, a impressão do texto usa diferentes fontes pra cada um. Para o narrador, fonte bodoni em Negrito; para o abade Dalla Picolla fonte Myriad em itálico; para Simonini, fonte garamond. E ainda tem quando cada um conta algo sobre o que outra pessoa disse, porque aí a fonte tem uma ligeira mudança… Isso no começo, traz um certo caminho a seguir, já que se trata da história de um duplo. Mas depois , dá uma sensação que a história recomeça de novo, e de novo…com outro ponto de vista, que dá na mesma, para “ a vítima”.

Trechos do livro:

“Os padre…Como os conheci? Na casa do vovô, creio; tenho a obscura lembrança de olhares fugidios, dentaduras estragadas, hálitos pesados, mãos suadas que tentavam me acariciar a nuca. Que nojo.Ociosos, pertencem às classes perigosas, como os ladrões e os vagabundos. O sujeito se faz padre ou frade só para viver no ócio…”

Que fique claro …que não produzo falsificações, mas sim novas cópias de um documento autêntico que se perdeu ou que, por um acidente banal, nunca foi produzido, mas que poderia e deveria sê-lo.“

o personagem cita com detalhes as refeições servidas: „…bastava colocar umas fatias de pão numa sopeira, temperando-as com muito azeite e pimenta recém-macerada; ferviam-se em ¾ de litro de água e sal umas cebolas fatiadas, tomate em tirinhas e calaminta; depois de vinte minutos derramava-se tudo sobre o pão, deixava-se descansar por uns minutos e pronto, servir bem quente.“

Quer resenha? Clique Aqui.

Tag: Sobre Escritores

capa

 

Fui tagueada pela Mayara do blog Devaneadora de Idéias para mostrar minhas idéias sobre escritores. Vamos lá!

1.                 O escritor que te iniciou no mundo da leitura
Leio desde antes de saber realmente ler. Mas na escola eu comecei com José de Alencar: Senhora.  Já reli e é muito bom!

2.                Um escritor que te ganhou de volta e um que te perdeu para sempre
Eu dou chance para livros, não para autores. Mas eu disse que não ía mais ler Cassandra Claire e amei As Peças Infernais. Um que nem tinha me ganho, mas me perdeu foi o Nicholas Sparks.

3.                Um escritor brasileiro e um estrangeiro
Moacyr Scliar – George R. Martin

4.                Um escritor “zona de conforto”
Sophie Kinsella

5.                Um escritor que você traria de volta dos mortos
Umberto Eco

download (1) download (2) download

 

QUERO LER

 

A História da Feiura (Umberto Eco) – Esse é o livro que algumas vezes quando entro em uma livraria, pego para folheá-lo.  Além das obras de artes há toda a história e citações sobre a feiura. É um livro curioso que eu adoraria ter na minha estante.

ESTE É UM LIVRO RECOMENDADO POR UMA AMIGA : o livro conta a história do samurai Musashi no antigo Japão. Eiji descreve a cultura e história da época em detalhes, e também os ensinamentos dos samurais.