Romance Histórico

O livro Adorável Marquesa do autor Andre Lambert conta em 365 páginas a história da França no período de 1729 a 1764, tendo como personagens o rei Luis XV e a sua amante Madame de Pompadour. Uma nota do tradutor Gilberto de Alencar, conta que as biografias que existem sobre Joana Poisson, a tratam de forma a desmerecer sua ascensão da burguesia à realeza. Ela se tornou a favorita do rei, mas não a única. A Revolução Francesa ajudou a destruir sua imagem destruindo todo os traços de suas atividades artísticas: construção de castelos, obras de arte e outros tesouros.

Joana, filha de um casal do povo, colocada numa boa escola interna graças à sua mãe que aproveitando o exílio do marido, se une a um homem aristocrata e causa escândalo. Ao voltar do exílio o marido aceita a situação porque vê nela a chance de sua filha entrar na sociedade. Mas nem o casamento com um homem da sociedade faz Joana feliz. Em um passeio ela encontra o Rei, se apaixona por ele que já tinha uma rainha e várias amantes. Ao criar intimidade com o rei, Joana cria um problema na côrte, onde se vê envolvida em intrigas, assassinato e traições. Mas o amor do rei bastava a Joana. Assim como representar no teatro. Conseguindo depôr desde a amante anterior até conselheiros e homens de confiança do rei, Joana pensa que criou um círculo de amizade e confiança. Mas as intrigas do palácio continuam até o dia de sua morte vinte anos depois.

Esse livro faz parte da Coleção Grandes Mulheres Da História da editora Itatiaia, publicado em 1974 vem sem ficha catalográfica ou informações sobre o autor.

Anúncios

Leitura Compartilhada – Final

 

Então chegamos ao final do Projeto Leitura Compartilhada, que consegui finalizar em aproximadamente dez semanas, com os 7 livros da trilogia Jean-Christophe do autor Romain Rolland. Este último volume encerra a história-biografia com 656 páginas. O último livro chamado O Novo Dia, JC já tem seu nome e sua música reconhecidos na Alemanha sua terra natal, em Paris onde vive e na Italia para  onde sempre viaja e onde mora seu grande amor da juventude, Grazia. Amor platônico por parte dele e amor de amiga por parte dela. Reencontra George o filho de seu falecido amigo e resolve cuidar dele, mas não se sai bem em sua missão. Viaja de novo para sua terra, reencontra seus amigos, assiste o casamento de seu “afilhado” George com a filha de sua paixão Grazia. Faz as pazes com Lévy-Coeur. E começa a definhar ao saber da morte de Grazia. Sente que todos que amou algum dia, estão em algum outro lado e que quer estar lá. Em seus últimos instantes de vida, começa a ouvir uma sinfonia, em que todos os instrumentos chegam à perfeição, e rodeado de seus amigos, vai encontrar seus amores. Trechos do livro: “…belos tipos italianos…que amavam com ternura a natureza, os velhos pintores, as flores, as mulheres, os livros, a boa mesa, a pátria, a música…Amavam tudo. Não davam preferência à nada.” “Não lê nada. Nesse mundo não se lê mais. Unicamente a música achou misericórdia. Aproveitou mesmo com a derrota da literatura. Quando essa gente se acha estafada, a música é para ela banho turco, vapor morno, massagem, narguilé. Não faz pensar: é uma transição entre o esporte e o amor.”

O livro conta com uma Bibliografia de Jean Christophe e uma Cronologia do autor Romain Rolland. Valeu a pena cada semana de leitura. Recomendadíssimo. Foram meus livros mais marcados com post-it. =D  Quer resenha? Clique Aqui.

20160306_073108[1]