Lendo Judas O Obscuro #3

O Projeto de Leitura Compartilhada do livro Judas O Obscuro do autor inglês Thomas Hardy está na terceira parte -da página 202 à 302 – final do capítulo VI.

Após descobrir o segredo de Jude, Sue resolve se casar com o professor e pede a Jude, através de uma carta, que entre com ela na igreja. Ela quer que ele sofra, mas ele a acha inocente. Até o dia do casamento ele tem vários pensamentos de arrependimento mas cumpre o acordo e a entrega para o professor. Depois ele vai para um bar beber para esquecer e encontra Arabella. Ela conta que casou com outro e ele diz que isso é um crime porque ela ainda é casada com ele.

Ele reencontra Sue pela primeira vez após o casamento e ela conta que seu marido é um bom homem e a trata bem apesar de velho.

Ele envia um bilhete pra Sue dizendo que a tia deles morreu. Ele vai ao funeral e Sue aparece por lá. Ela diz que gosta de estar com ele e ele inventa que voltou pra ex-mulher. Ela conta pra ele que sente repugnância pelo casamento. Ele fica pensando nas reclamações dela sobre o casamento e não consegue dormir. Sai pra andar e vê um coelho ferido e vai libertá-lo e Sue vai atrás dele e diz que não quer mais estar casada. Ele diz que por ela ele abre mão das convicções religiosas.

Sue conta para o marido que Jude segurou sua mão e ela não retirou, mas não conta do beijo rápido. Ela dorme no cômodo embaixo da escada ( bem HP) pra ficar longe do marido à noite. Ela pede à ele pra viver como amigos ou deixá-la ir. Phillotson quer saber se ela vai viver com Jude e ela diz que talvez.

O professor conversa com um amigo sobre as atitudes estranhas de Sue. À noite ele esquece que aceitou dormir separados, entra no quarto e começa a tirar a roupa. Quando olha pra Sue vê ela pulando a janela. Desce as escadas correndo e vê que ela está viva. Ela mente dizendo que teve um pesadelo.

Ao conversar novamente com seu amigo, o Professor diz que vai deixá-la ir e que não entende Sue. Ela diz que ele pode examinar a bagagem dela quando sair, mas ele acha um absurdo, que ela pode levar o que quiser e ainda oferece dinheiro à ela.

Sue encontra Jude e ele a convida a morar em outra cidade. Ela diz que sim mas em quartos separados. Ele recebe uma carta do marido dela dizendo pra ele cuidar bem de Sue. Ele tenta ficar com ela que o repele e ele diz que ela é incapaz de amar. Ela responde que não quer amor físico.

Trechos do Livro: “And then we are cousins, and its bad for cousins to marry. And _ I am engaged to somebody else…Their philosophy only reconizes relations based on animal desire.” “He’s a good to me as a man can be, and gives me perfect liberty – wich elderly husbands don’t do in general…If you think I am not happy because he’s too old for me, you are wrong.” “Just think if either of the parsons in this town was to see us now! I hate such eccentricities, Sue. There’s no order or regularity in your sentiments!”

Anúncios

Projeto Check-List #3

bula

Os melhores livros de 2017 segundo a Revista Bula.

Livros Lidos Quero Ler Não Vou Ler
O Mestre e a Margarida de Bulgákov Manual da Faxineira de Lucia Berlin
O Palácio da Memória de Nate DiMeo O Vendido de Paul Beatty
O último Grito de Thomas Pynchon A Invenção de Paris
Jogo de Cena em Bolzano do Sándor Márai Enquanto Houver Champanhe de Joaquim F Santos
Jamais o Fogo Nunca de Diamela
Anos de Formação de Ricardo Piglia

Descobri que não li nenhum dos indicados, mas quatro deles entraram pra minha wish list! =)

 

Leitura Compartilhada – Final

 

Então chegamos ao final do Projeto Leitura Compartilhada, que consegui finalizar em aproximadamente dez semanas, com os 7 livros da trilogia Jean-Christophe do autor Romain Rolland. Este último volume encerra a história-biografia com 656 páginas. O último livro chamado O Novo Dia, JC já tem seu nome e sua música reconhecidos na Alemanha sua terra natal, em Paris onde vive e na Italia para  onde sempre viaja e onde mora seu grande amor da juventude, Grazia. Amor platônico por parte dele e amor de amiga por parte dela. Reencontra George o filho de seu falecido amigo e resolve cuidar dele, mas não se sai bem em sua missão. Viaja de novo para sua terra, reencontra seus amigos, assiste o casamento de seu “afilhado” George com a filha de sua paixão Grazia. Faz as pazes com Lévy-Coeur. E começa a definhar ao saber da morte de Grazia. Sente que todos que amou algum dia, estão em algum outro lado e que quer estar lá. Em seus últimos instantes de vida, começa a ouvir uma sinfonia, em que todos os instrumentos chegam à perfeição, e rodeado de seus amigos, vai encontrar seus amores. Trechos do livro: “…belos tipos italianos…que amavam com ternura a natureza, os velhos pintores, as flores, as mulheres, os livros, a boa mesa, a pátria, a música…Amavam tudo. Não davam preferência à nada.” “Não lê nada. Nesse mundo não se lê mais. Unicamente a música achou misericórdia. Aproveitou mesmo com a derrota da literatura. Quando essa gente se acha estafada, a música é para ela banho turco, vapor morno, massagem, narguilé. Não faz pensar: é uma transição entre o esporte e o amor.”

O livro conta com uma Bibliografia de Jean Christophe e uma Cronologia do autor Romain Rolland. Valeu a pena cada semana de leitura. Recomendadíssimo. Foram meus livros mais marcados com post-it. =D  Quer resenha? Clique Aqui.

20160306_073108[1]