Ítens Colecionáveis

colecao-de-cartao-telefonico-brasil-201505312306104293330000

Quando criança me apaixonei pela coleção de moedas e selos do meu irmão. Então durante minha adolescência comecei minhas coleções de papel de carta, bonecas de papel, figurinhas de desenhos japoneses, miniaturas. Ainda tenho algumas dessas miniaturas. Tenho marcadores de livros de Nova York, Australia e Indonésia. Tenho uma coleção de cartões telefônicos. Nesse #SpecialTips #8 falaremos de coleção. Pra que serve uma coleção? O que faz alguém gastar dinheiro com ítens que nem vai usar?

No meu caso, eu pedia pra amigos, trocava. Meus ítens sempre foram apenas uma diversão. Mas existem coleções valiosas, com ítens raros e caríssimos.Alguns colecionadores fazem pesquisas sobre seus ítens e participam de leilões. Existem coleções dos objetos mais esquisitos que se pode imaginar. E descobri que tenho peças raras na minha coleção. 😉

Quer começar ou organizar a sua? Veja dicas Aqui.

Desafio #SpecialTips

Vi esse desafio num blog há muito tempo; me parece que o nome era “Monica e os Livros”. a autora dava dicas de livros e filmes durante um mês. Quero tentar isso no mês de agosto. =)

Então o número um começa hoje.

#1  #SpecialTips de hoje é um livro policial.

4_DE_JULHO__1312843600B  murder

Esse livro 4 de Julho do autor James Patterson nos conta mais uma aventura de sua famosa criação: o clube das mulheres contra o crime. Em 207 páginas vemos uma policial ser acusada de se defender e atirar em marginais adolescentes (é, isso acontece nos Estados Unidos também). E é afastada da corporação. Em seu “descanso”, resolve se envolver na investigação de outros crimes. Um serial killer deixando suas marcas nas vítimas. E aí começa os clichês: no começo as vítimas não tem nada que as incrimine até que se mostram não tão inocentes; o autor nos mostra o lado ruim de várias pessoas, para que os coloquemos na lista de suspeitos -e eles não são; ele mostra pessoas adoráveis que se mostram diferentes no final. Outro problema: um final inverossímel, que não prova coisa nenhuma -só que os assassinos são psicopatas e nada faz sentido.  Nesse livro vemos as quatro personagens do Clube das Mulheres Contra o Crime; elas investigam casos que são mais rapidamente desvendados pela habilidade feminina de entender a psicologia do crime. As personagens chegaram também a ganhar uma série na TV chamada Women’s Murder Club, que só durou uma temporada no canal Fox. Também foram protagonistas de um game desenvolvido para as plataformas do PC, X-Box e Nintendo DS. O escritor Andrew Gross colaborou com Patterson em dois livros da série. Hoje, porém, os livros são co-escritos por Maxine Paetro.

Já li outros livros dele, mas acho que são apenas passatempo. Nada profundo. Assisti alguns episódios da série e achei muito bom.

Quer resenha? Clique Aqui.