Finalizando 2016

livros-e-eu

Este ano foi muito produtivo em termos de leitura. Fechei minha planilha com 67 livros lidos!! photophoto

Neste ano viajei por autores e histórias de vários países, também recebi visitantes de vários lugares:

paises-total

O menor livro lido tem apenas 40 páginas, mas uma história imensa. O maior livro tem 699 páginas que foram lidas num fim de semana!! 😀

Releituras, livros odiados, desperdício de tempo, livros amados, autores que se tornaram favoritos, histórias diferentes, infantis, mangás, HQ, adaptações, biografia, fatos reais, fantasia, terror, trilogias, nacionais, poesia, filmes, clássicos…De tudo um pouco que é pra manter a chama acesa!!  ❤

Que venha 2017!!

SAMSUNG CAMERA PICTURES

 

Anúncios

A Beleza das Artes

a85ad2eb-324a-4b81-a881-c1910ac381f2

O livro Eu Fui Vermeer de Frank Wynne, com 269 páginas, tem como subtítulo ‘a lenda do falsário que enganou os nazistas‘, narra exatamente a forma como Han Van Meegeren fazia suas falsificações e ficou milionário com sua arte. Aonde aparece os nazistas? É apenas para mostrar o motivo de sua prisão no período da guerra, por ter sido confundido como simpatizante dos nazistas. O autor, durante o livro marcado como Biografia, parece questionar o quão gênio é aquele que copia de forma a se tornar melhor que o original?

Trecho do livro: “Falsificação é o lado escuro da arte, o vício sem o qual a virtude é impossível. Enquanto a humanidade cobiçar objetos por sua beleza, sua proximidade com o gênio, o falsário estará a postos, com um sorriso zombeteiro, pronto para satisfazer a demanda.”

Para os apreciadores das artes, o que importa é a emoção que uma obra passa e não o que os críticos decidem sobre a obra. Como cita o autor “os peritos nem sempre percebem a diferença entre merda e mousse de chocolate.”  😉

Quer resenha? Clique Aqui.

vermeer-2-638

Ler aos poucos

z

Finalizar séries é complicado. Aparece algum livro que vai ser lido na frente e se não houver um planejamento, uma disciplina, eu não consigo me organizar pra ler. Consegui ler mais dois livros da série Musashi. Ele foi um samurai, considerado herói no Japão. Mas o livro não é uma Biografia. O jornalista e autor do livro Eiji Yoshikawa, escreveu baseado nos escritos do próprio personagem. O livro O Fogo, com 229 páginas, continua com os desencontros entre Musashi e a linda e doce Otsu. Também há muitos duelos. O livro O Vento com 329 páginas, finalmente Musashi encontra Otsu, mas o destino ainda não deixa que os dois fiquem juntos. Há um combate épico, muito bem descrito. Estou lendo em e-book, mas há novas edições sendo lançadas. Recomendadíssimo, pra quem curte mangá, sagas épicas, história medieval, uma pitada de romance, mas nada muito doce.

musashi

Quer resenha? Clique Aqui.

cover

O mangá Vagabond foi baseado na história desses livros. E tem até página no Facebook. Também foram lançados vários filmes sobre a saga de Musashi.

Samurai_II_Duel_at_Ichijoji_Temple_poster

 

 

 

SERÁ UMA AUTOBIOGRAFIA?

Finalizado o livro Noites Italianas de Kate Holden, 256 páginas, onde na capa está escrito: baseado na história real da autora.

A própria autora descreve como “…uma obra da minha imaginação, e também a verdade.”

O índice catalográfico diz Biografia. A autora escreveu suas memórias num primeiro livro chamado Na Minha Pele. A orelha do livro diz que este é uma continuação do primeiro livro. Ao ler a história, fica claro que é ficção, que foi escrito em forma de romance. A vida da autora é um mix de modelo, prostituta, viciada e também formada em Estudos Clássicos e Literatura. Então este romance faz citações de grandes autores como Lord Byron, Goethe e outros.

Nesta parte da história de sua vida, ela está perdida literalmente. Não tem emprego, nem moradia, nem um relacionamento decente com amigas, amigos, família…seu dinheiro está acabando, viveu nas ruas, mas não tem malícia: acredita em todo mundo. E não tem um final: cada capítulo conta a parte romântica que cada personagem interpretou em sua vida. Ela escolheu seis personagens que decidiu que valia a pena descrever, sem começo, meio ou fim.

Apesar da maior parte do livro se passar durante os dias, olhando o mar da varanda da casa de um, lendo livros nas tardes frias da casa de outro, passeando pelas ruas de Roma e Nápoles para encontrar os lugares que lia nos livros…o título traduzido fala sobre Noites. O título original se chama The Romantic, e é explicado nas páginas iniciais: “Ela veio à Italia  em busca de três coisas: Roma, românticos e romance.”  Então, não entendi a escolha do título. Se bem que a tradução também deixa a desejar: algumas frases ficaram sem nexo. Mas a capa é linda. =)

Quer resenha? Clique aqui.