Livro cercado de Polêmicas

 

 

O livro Battle Royale do autor japonês Koushun Takami conta em 663 páginas a história de uma turma de alunos adolescentes que são escolhidos para participar de um programa do governo que faz com que eles lutem por sobrevivência, mesmo que pra isso tenham que matar uns aos outros. A intenção é tornar a desconfiança uma unanimidade entre os jovens para que ninguém queira pensar em uma revolução.

42 meninos e meninas são deixados em uma ilha com uma coleira eletrônica no pescoço, recebem um kit sobrevivência e uma arma. E uma equipe do governo monitora os passos de cada um em uma área dessa ilha.

A ilha é dividida em quadrantes como uma Batalha Naval. E para tornar o jogo mais difícil, alguns quadrantes vão sendo proibidos conforme o tempo vai passando (mapa no livro).

A lista dos alunos é bem diversificada: tem a sem noção, tem a esportista, tem a vadia, tem a sem graça, tem o arrogante, tem o geek, tem o casal apaixonado.

É um livro que parece um vídeo-game ou um filme do Tarantino: muitas mortes, muita cena chocante, muita reviravolta. Mas na página 72 eu já havia escolhido os nomes dos finalistas e não errei. O livro é bom, mas os jogadores irrelevantes arrastam a história que poderia terminar em 300 páginas.

Polêmica #1 _ o autor e jornalista foi desclassificado da concorrência ao Prêmio Japan Grand Prix Horror Novel por conteúdo violento. Não escreveu nenhum outro romance.

Polêmica #2 _ Mesmo tendo inspirado a história de Jogos Vorazes, não houve nenhum processo sobre direitos autorais. A autora diz que não leu o livro nem viu o filme.

Polêmica #3 _ a história política foi baseada no comunismo chinês.

Trechos do livro:”…o rock fora banido do repertório dos concertos. Mesmi assim os membros do clube costumavam tocar rock pra passar o tempo.” “A coleira é estruturada para monitorar as pulsações do fluxo elétrico do coração de vocês, verificando se estão vivos ou mortos…ao mesmo tempo, ela nos informa a exata posição de cada um na ilha.” “O sistema não perdoava nem mesmo os inocentes. Por isso, todos continuavam intimidados pela sombra do governo, obedecendo totalmente às suas políticas, e viviam tendo como consolo somente as pequenas felicidades da vida diária.”

O filme baseado na história foi lançado em 2000:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s